Arnaldo Antunes canta realidade distópica da era Bolsonaro em novo clipe

Com imagens captadas pela Mídia Ninja de manifestações reprimidas com bombas, cassetetes e tiros, Arnaldo cita versos que parecem tirados de um pesadelo

O cantor e compositor paulistano Arnaldo Antunes acaba de lançar, neste final de semana, no YouTube, o impactante clipe de sua canção “O real existe”, apresentada ao público no começo do mês.

Com imagens captadas pela Mídia Ninja de manifestações reprimidas com bombas, cassetetes e tiros, Arnaldo cita versos que parecem tirados de um pesadelo.

Neles, o compositor repete de maneira irônica que autoritarismo, sectarismo, xenofobia, fanatismo, nada disso existe. Na conclusão de cada um deles, ele canta: “bruxa, fantasma, bicho papão, monstro, vampiro, assombração. O real resiste”.

“O real resiste” é a primeira canção a ser divulgada do álbum “RSTUVXZ”, todo com composições inéditas, que o artista gravou entre julho e agosto deste ano de 2019, no estúdio paulista Canto da Coruja, em Piracaia (SP), com produção musical dividida entre Gabriel Leite e o próprio Arnaldo Antunes.

Veja o clipe e a letra de O real resiste abaixo:

O real resiste (Arnaldo Antunes)

 

Autoritarismo não existe

Sectarismo não existe

Xenofobia não existe

Fanatismo não existe

Bruxa fantasma bicho papão

O real resiste

É só pesadelo, depois passa

Na fumaça de um rojão

É só ilusão, não, não

Deve ser ilusão, não não

É só ilusão, não, não

Só pode ser ilusão

Miliciano não existe

Torturador não existe

Fundamentalista não existe

Terraplanista não existe

Monstro vampiro assombração

O real resiste

É só pesadelo, depois passa

Múmia zumbi medo depressão

não, não, não, não

não, não, não, não

não, não, não, não

não, não, não, não

Trabalho escravo não existe

Desmatamento não existe

Homofobia não existe

Extermínio não existe

Mula sem cabeça demônio dragão

O real resiste

É só pesadelo, depois passa

Como o estrondo de um trovão

É só ilusão, não, não

Deve ser ilusão, não não

É só ilusão, não, não

Só pode ser ilusão

Esquadrão da morte não existe

Ku Klux Klan não existe

Neonazismo não existe

O inferno não existe

Tirania eleita pela multidão

O real resiste

É só pesadelo, depois passa

Lobisomem horror opressão

não, não, não, não

não, não, não, não

não, não, não, não

não, não, não, não

 

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.