Fórumcast, o podcast da Fórum
03 de janeiro de 2018, 13h04

As três maiores bilheterias de Hollyood em 2017 têm mulheres nos papéis principais

A última vez em que isso aconteceu foi há 60 anos

A última vez em que isso aconteceu foi há 60 anos

Da Redação*

Tanto dentro como fora da tela, Hollywood, em 2017, foi definida por suas mulheres, e a prova está nas bilheterias. Pela primeira vez desde 1958, os três principais lançamentos americanos de maior arrecadação apresentaram protagonista femininas no papel principal.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

“Guerra nas Estrelas: O Último Jedi”, que mostra a Daisy Ridley como a ambiciosa Rey, obteve o primeiro lugar nas paradas com arrecadação de US$ 517 milhões. Esta marca foi mantida durante a maior parte do ano por “A Bela e a Fera”, que estrelou Emma Watson como uma das heroínas mais famosas da Disney. Já Gal Gadot ocupou o terceiro lugar, com “Mulher Maravilha”, que se tornou o filme do verão com US$ 412,5 milhões.

De acordo com os dados de Box Office Madness e Box Office Mojo, que registraram gráficos de bilheteria para filmes publicados antes e depois de 1980, foram 59 anos desde que os filmes dirigidos por mulheres fecharam o pódio da bilheteria.

Em 1958, o filme principal do ano foi “Pacífico Sul”, a adaptação cinematográfica do musical de Rodgers e Hammerstein, que estrelou Mitzi Gaynor como uma enfermeira durante a Segunda Guerra Mundial.

Em segundo lugar, ficou a comédia “A Mulher do Século”, que estrelou Rosalind Russell como a socialite titular de Manhattan que leva seu sobrinho órfão à sua vida de redemoinho. Em terceiro lugar, ficou a adaptação do “Gata em Telhado de Zinco”, de Tennessee Williams, estrelado por Elizabeth Taylor no papel principal como Maggie “The Cat” Pollitt.

*Com informações do The Wrap


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum