Com Bolsonaro, Lei Rouanet captou e concentrou mais, diz Sérgio Sá Leitão

Ex-ministro aponta para um dos principais mitos de Bolsonaro na área da Cultura: “acabar com a lei Rouanet e, no caminho, reduzir a sua concentração de recursos”; ocorreu o contrário

O ex-ministro da Cultura e atual secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, Sérgio Sá Leitão, apontou para o fim, em sua conta do Twitter, nesta quinta-feira (6), dum dos principais mitos do governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) da área da Cultura: o de acabar com a Lei Rouanet e, no caminho, reduzir a sua concentração de recursos.

De acordo com Sá Leitão, “os autoritários que comandam a cultura federal são trapalhões e produziram involuntariamente o inverso. A lei continua, a captação foi recorde e a concentração cresceu”.

O secretário, que foi chefe de gabinete do ex-ministro Gilberto Gil, alerta que “o aumento do valor captado por projetos culturais é uma ótima notícia. Significa que a economia cresceu, as empresas ignoraram as diatribes bolsonaristas e os projetos estão acontecendo. Mas a concentração, não. Ela ocorreu porque Frias & Cia. pararam de aprovar novos projetos”.

Recursos em projetos já aprovados

De acordo com ele, “as empresas patrocinadoras tiveram que colocar os recursos em projetos que já estavam aprovados, com prazo de captação em vigor”. O resultado, alerta, foram “mais recursos para menos projetos. Além de autoritários e trapalhões, são incompetentes. Um pesadelo que tem prazo de validade: 31/12/22!”

Ataques a Ivete Sangalo e Zé de Abreu

Horas após receber alta hospitalar nesta quarta-feira (5), Bolsonaro deu uma entrevista coletiva ao lado do seu médico Antônio Luiz Macedo, em que afirmou que trabalhou durante as férias.

Sem nenhuma ação concreta aprovada no período, Bolsonaro citou a mudança na Lei Rouanet e criticou a cantora Ivete Sangalo e o ator Zé de Abreu. A Secretaria de Cultura anunciou que avalia reduzir em 50% o teto do benefício, o que revoltou diversos artistas.

“Queremos a Lei Rouanet para atender aquele artista que está começando a carreira e não para figurões ou figuronas como a querida Ivete Sangalo. Está chateada? Está. Zé de Abreu está chateado? Está. Porque acabou aquela teta deles gorda de pegar R$ 10 milhões por ano da Lei Rouanet e defender o presidente de plantão. Não quero que me defendam, mas que falem a verdade ao meu respeito”, afirmou.

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.