Fórumcast #20
26 de março de 2019, 17h03

Com investimento de US$ 1 bilhão, Apple anuncia detalhes da Apple TV+

Serviço entra em breve no mercado de mais de cem países, com nomes como Steven Spielberg, J.J. Abrams, Oprah Winfrey, Reese Witherspoon, Jennifer Aniston entre outros

Foto: Divulgação

A Apple anunciou, nesta segunda-feira (25), os detalhes da Apple TV+, serviço de conteúdo de streaming que também transforma a empresa criada por Steve Jobs em uma provedora de mídia e séries originais, criando a concorrência direta com Neftlix e Amazon Prime.

A Apple TV+ está sendo preparada desde 2017. Teve um investimento inicial acima do US$ 1 bilhão (cerca de R$ 4 bilhões) e começou a tomar forma com a contratação de Zack Van Amburg e Jamie Erlicht, dupla de veteranos executivos da Sony TV.

Os dois são responsáveis pela supervisão da produção mundial das séries para a Apple e, sem poupar esforços, fizeram acordos com nomes de peso, como Steven Spielberg, J.J. Abrams, Oprah Winfrey, Reese Witherspoon, Jennifer Aniston, M. Night Shyamalan e Jason Momoa.

O serviço terá um plano de assinaturas semelhante aos da Netflix, que somava 139 milhões de assinantes no mundo no fim de 2018. Previsto para estrear no segundo semestre em mais de cem países, inclusive no Brasil, a Apple TV+ cobrará uma mensalidade ainda não definida para o acesso aos conteúdos originais.

Veja também:  Bolsonaro negocia com Senado órgãos de R$ 2,5 bilhões para emplacar Eduardo na embaixada

Neste momento, cinco séries originais já foram filmadas e mais seis estão em processo de finalização. A Apple quer estrear a Apple TV+ com mais duas dúzias de séries criadas ou produzidas por Winfrey, Damien Chazelle (“La La Land”), Chris Evans (“Vingadores”), entre outros.

Com informações da Folha


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum