Documento da ditadura erra e casa Nara Leão com o sogro

Erro crasso foi descoberto pelo neto da cantora. Ele atua como assistente de direção de um documentário sobre a avó, a musa da Bossa Nova

Uma ficha do Estado Maior das Forças Armadas de maio de 1975 diz que o sociólogo Manuel Diegues Junior (1912-1991), católico praticante, então diretor do Departamento de Assuntos Culturais (DAC) do Ministério da Educação e Cultura (MEC) é “comunista” e casado com a cantora Nara Leão.

Manuel Diegues Junior era, na verdade, sogro de Nara, pai do cineasta Cacá Diegues, ele sim o seu marido na época.

O erro crasso foi descoberto por José Pedro Bial, neto de Cacá e de Nara. Ele é filho da cineasta Isabel Diegues e do apresentador da Globo Pedro Bial e trabalha como assistente de direção de um documentário sobre a avó, considera a “musa da Bossa Nova”.

O documentário é uma produção do Globoplay, com direção de Renato Terra, o mesmo do elogiado “Uma noite em 67”, “Narciso em férias” e “Erasmo 80”, lançado recentemente na plataforma. A produção é da equipe liderada por Pedro Bial.

Nara Leão morreu precocemente, aos 47 anos, em junho de 1989, vítima de um tumor cerebral.

Veja o documento abaixo:

Com informações da coluna de Ancelmo Gois

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR