Fórumcast #19
19 de janeiro de 2017, 09h54

Em meio à guerra de Doria, obra do grafiteiro Basquiat virá ao MASP em 2018

Em meio a uma recente grande polêmica no Estado de São Paulo sobre as atitudes do atual prefeito em relação ao grafite e pichação, o MASP (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand) trará, em 2018, uma exposição dedicada ao trabalho do grafiteiro Jean-Michel Basquiat.

Em meio a uma recente grande polêmica no Estado de São Paulo sobre as atitudes do atual prefeito em relação ao grafite e pichação, o MASP (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand) trará, em 2018, uma exposição dedicada ao trabalho do grafiteiro Jean-Michel Basquiat.

Da Redação com Informações do Nothesamo

A mostra de Basquiat será uma homenagem aos 30 anos de sua morte (1960-1988), sendo um dos grandes destaques na programação do museu para o ano que vem. A exibição trará o recorte chamado de Histórias da Escravidão, integrando e conversando com as demais narrativas africanas que serão abordadas pelo museu no mesmo período e coincidindo com os 130 anos de assinatura da Lei Áurea, que deu fim a escravidão no Brasil. Sendo a grande primeira exposição no Brasil dedicada ao artista, a mostra contará com cerca de 40 trabalhos, entre eles pinturas e desenhos.

Sendo considerado um dos maiores representantes do grafite americano, através de sua estética única, Basquiat consagrou-se, primeiramente, através do termo SAMO, antes de adentrar no universo das galerias de arte. Para saber mais sobre a trajetória do artista, confira a matéria que conta um pouco sobre sua influência no mundo da arte e do streetwear.

Veja também:  Premiação do cinema nacional é marcado por discursos contra Bolsonaro

Confira alguns trabalhos de Jean-Michel Basquiat abaixo:

o-basq-900

slide_347453_3683257_free

slide_347453_3683256_free

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum