Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
12 de novembro de 2019, 08h47

Em Paris, artistas brasileiros denunciam ataques de Bolsonaro à cultura e democracia

Sebastião Salgado, Djamila Ribeiro e Sônia Guajajara foram alguns dos nomes presentes no debate. Além das "aberrações" do governo Bolsonaro, convidados também abordaram ataques a Lula

Aristas brasileiros debatem a cultura no Brasil sob Bolsonaro (Foto: RFI)

Diversas personalidades brasileiras participaram do evento “Brasil, a cultura em perigo” no teatro Odéon, em Paris, nesta segunda-feira (11). O espaço estava lotado para prestigiar o debate entre artistas, intelectuais e lideranças políticas sobre a censura e demais ataques que o governo de Jair Bolsonaro (PSL) tem protagonizado contra obras culturais e contra a democracia.

Estavam presentes o fotógrafo Sebastião Salgado, a filósofa e teórica do feminismo negro Djamila Ribeiro, a diretora teatral Christiane Jatahy, a arquiteta e urbanista Joice Berth, a liderança indígena Sônia Guajajara e o organizador da Festa Literária das Periferias (FLUP), Julio Ludemir. O debate foi conduzido pela jornalista francesa Audrey Pulvar.

Outras personalidades do mundo da cultura, como o escritor Milton Hatoum e o ex-ministro da Cultura, Juca Ferreira, enviaram textos que foram lidos em francês. Outros, como o cineasta Kleber Mendonça Filho, a produtora Émilie Lesclaux e os rappers Nyl Mc e Lucas Afonso mandaram suas participações por vídeo.

A filósofa Djamila Ribeiro falou sobre o genocídio do povo negro, “que não é apenas físico, mas também moral e intelectual”.

“O racismo é uma estrutura que perpassa todas as relações sociais no Brasil. Não podemos falar de nenhum tema no Brasil sem falar da questão racial”, defende a filósofa, que foi a primeira de sua família a ter acesso à universidade, graças às políticas afirmativas implantadas no governo Lula.

Para o fotógrafo Sebastião Salgado, que morou na França em 1969, durante a ditadura militar brasileira, o governo Bolsonaro é uma “aberração”. Ele denunciou a destruição de “tudo o que os governos Lula e Dilma fizeram pelo Brasil” e disse temer que Lula seja “eliminado” agora que está solto e vai percorrer o país e ficará “bastante acessível”.

“Há vários meses, a democracia brasileira vem caindo no abismo. A extrema direita no poder, alimentada pela nostalgia da ditadura militar e pelo fundamentalismo religioso, iniciou uma cruzada contra as classes populares, pessoas LGBTQI +, indígenas, ativistas ambientais, defensores dos direitos humanos. A cultura e a liberdade artística estão entre os primeiros setores visados pelo poder de extrema direita, que aboliu o Ministério da Cultura e não hesita em censurar trabalhos com temas que o desagradam”, dizia o texto de chamada para o evento.

Com informações da RFI.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum