terça-feira, 27 out 2020
Publicidade

Historiador afirma que George Orwell e esposa foram espionados por Stalin durante a Guerra Civil Espanhola

Giles Tremlett descreve em detalhes o episódio em seu livro “The International Brigades: Fascism, Freedom and the Spanish Civil War”

O escritor e historiador Giles Tremlett afirma, em seu livro “The International Brigades: Fascism, Freedom and the Spanish Civil War” (As Brigadas Internacionais: Fascismo, Liberdade e a Guerra Civil Espanhola), publicado em 15 de outubro, que o escritor George Orwell e sua esposa Eileen foram espionados por Moscou, quando estavam em Barcelona, na época de um violento conflito interno no lado republicano da Guerra Civil Espanhola, em maio de 1937.

“Os papéis são evidências documentais de que não apenas Orwell, mas também sua esposa Eileen, estavam sendo observados de perto. Eles adicionam combustível à tese que Orwell desenvolveu nos livros “Lutando na Espanha”, e mais tarde em “A Revolução dos Bichos” e “Nineteen Eighty-Four”, de que Stalin tinha a intenção de transformar o comunismo de um ideal social e político em uma tirania liderada por um único homem”, disse Tremlett ao Observer.

Orwell – cujo nome verdadeiro era Eric Blair – estava entre 35.000 ativistas de 80 países que viajaram para a Espanha para lutar em um levante contra o governo democrático do país em julho de 1936, liderado pelo futuro ditador General Francisco Franco.

O autor pretendia se alistar nas Brigadas Internacionais dominadas pelos comunistas, mas foi rejeitado após um encontro turbulento com Harry Pollitt, chefe do Partido Comunista da Grã-Bretanha. Em vez disso, Orwell voltou-se para o Partido Trabalhista Independente, que apoiava o anti-stalinista pró-Trotsky Poum (o Partido dos Trabalhadores Marxistas Unidos).

Em maio de 1937, um conflito interno entre as forças republicanas viu os membros de Poum lutando contra as tropas do governo em Barcelona. Os confrontos foram desencadeados por Poum e a insistência anarquista de que fazer uma revolução de peso no lado republicano era tão importante quanto derrotar Franco – com o que o governo discordava.

Em “Lutando na Espanha”, Orwell descreveu uma “atmosfera horrível” em Barcelona, ​​produto de “medo, suspeita, ódio, jornais censurados, prisões lotadas, enormes filas de comida e gangues de homens armados à espreita”.

“Lutando na Espanha”, foi publicado em abril de 1938, mas a primeira edição do livro vendeu apenas 800 cópias. Tornou-se popular apenas após a morte de Orwell em 1950.

Leia o artigo completo sobre o livro The International Brigades: Fascism, Freedom and the Spanish Civil War no The Guardian.

Julinho Bittencourt
Julinho Bittencourt
Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.