Laerte vence Prêmio Vladimir Herzog com charge sobre o massacre de Paraisópolis

A charge foi publicada na capa da Folha dois dias após nove jovens serem mortos pela PM durante um baile funk

A cartunista Laerte Coutinho venceu o 42º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos na categoria melhor arte com a charge “Infernópolis”.

A charge, que foi publicada na primeira página da Folha, em 3 de dezembro de 2019, dois dias após o massacre promovido pela PM no bairro de Paraisópolis, em São Paulo, quando morreram nove jovens, mostra a comunidade cercada pela polícia.

Estima-se que cerca de cinco mil pessoas estivessem no local. A PM realizava a Operação Pancadão, que visa “garantir o direito de ir e vir do cidadão e impedir a perturbação do sossego, fiscalizando a emissão ruídos proveniente de veículos”, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

Laerte comemora neste ano 50 anos de carreira e foi também uma das homenageadas da edição do Prêmio Vladimir Herzog ao lado do jornalista Luiz Gama (1830-1882) e da filósofa Sueli Carneiro.

Laerte é criadora de vários personagens como Piratas do Tietê, Hugo Baracchini, Deus e Overman. Publica charges na Folha desde 2014 e quadrinhos regularmente desde os anos 1980, entre eles, as tirinhas de “Los 3 Amigos” e do personagem Hugo Barachhini.

Atualmente é comprometida com a causa LGBT e fundou a Abrat (Associação Brasileira de Transgêneros).

Com informações da Folha

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.