Lafayette, o “organista da Jovem Guarda”, morre de pneumonia no Rio

O músico é o autor, entre outros, da introdução e do solo central de “Quero que vá tudo pro inferno”, sucesso de Roberto Carlos, de 1965

Ele é o autor, entre outros, da inesquecível introdução e do solo central de “Quero que vá tudo pro inferno”, retumbante sucesso de Roberto Carlos, de 1965. Lafayette Coelho Varges, conhecido como o organista Lafayette, referência da Jovem Guarda, morreu na madrugada desta quarta-feira (31), no Hospital Getúlio Vargas, no Rio, aos 78 anos, de pneumonia.

Lafayette era carioca do bairro da Tijuca, o mesmo de Roberto e Erasmo Carlos, Jorge Ben e Tim Maia. Ele foi chamado pela gravadora RGE para participar de um disco de Erasmo.

Ao GLOBO, ele lembrou em 2015: “Tinha um órgão no canto da sala, eu tirei a capa dele e comecei a tocar. O Erasmo ouviu e falou: ‘É isso, vamos botar isso aí no disco!’. Mais tarde, ele falou de mim para o Roberto Carlos, que comprou a ideia e me levou para a CBS. Mexendo aqui e ali no órgão Hammond B3 do estúdio, cheguei a um som do qual o Evandro Ribeiro, presidente da CBS, gostou muito. Eu tinha que achar algo diferente daquilo que o Ed Lincoln e Eumir Deodato faziam na época”.

Ele gravou ainda “Lafayette apresenta os sucessos”, o primeiro de mais de 30 LPs pela CBS na qual ficaria até 1980. Seus discos apresentavam versões instrumentais arranjadas por ele para sucessos da época, incluindo trilhas sonoras de filmes, e venderam bastante, chegando a render-lhe um disco de ouro.

Amigos organizaram um show para arrecadar fundos, em 2017, a fim de custear o tratamento de insuficiência renal do músico — e Erasmo Carlos também se apresentou.

Com informações do Globo

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta.

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR