Livraria Cultura pode ter falência decretada ainda nesta semana

Vários credores, inclusive ex-funcionários da empresa, afirmam que a livraria não tem cumprido suas obrigações

Foto: Divulgação

O pedido da Livraria Cultura para aprovar um novo plano de recuperação judicial foi rejeitado pelo juiz Marcelo Sacramone, da 2ª Vara de Falências de São Paulo.

De acordo com a decisão do juiz, a empresa tem cinco dias, contados a partir da última sexta-feira (18), para provar que tem cumprido suas obrigações do seu plano de recuperação, sob pena de ter a falência decretada. De acordo com informações da agência O Globo, a Cultura vai recorrer da decisão.

A livraria tem dívidas de aproximadamente R$ 285 milhões e argumentava na assembleia de credores, no dia 14 de setembro, a necessidade de rever obrigações previstas no plano de recuperação devido ao impacto negativo da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) em suas operações. A proposta não foi aprovada.

Vários credores, inclusive ex-funcionários da empresa, afirmam que a livraria não tem cumprido suas obrigações. Se a empresa não conseguir comprovar em cinco dias que tem honrado os compromissos assumidos, poderá ter a falência decretada, e seus ativos serão liquidados para o pagamento das dívidas.

A defesa da Cultura no processo afirma que vai recorrer da decisão.

Com informações da Agência O Globo

Este post foi modificado pela última vez em 21 set 2020 - 13:47 13:47

Julinho Bittencourt: Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.