#Fórumcast, o podcast da Fórum
05 de setembro de 2019, 15h34

Livro retrata a curta, intensa e vitoriosa trajetória parlamentar de Audálio Dantas

Escrito por Antonio Barbosa Filho, a obra aborda uma face não tão conhecida do jornalista, que liderou a categoria na luta contra a ditadura militar

Foto: Reprodução

O jornalista e escritor Audálio Dantas se tornou conhecido nacionalmente em função de sua atuação na luta contra a ditadura militar. Após o assassinato do também jornalista Vladimir Herzog nos porões da ditadura, em outubro de 1975, Audálio, à época presidente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, foi presença marcante para ajudar a desmascarar o governo militar, que forjou o “suicídio” de Herzog.

Junto com sua diretoria e com Dom Paulo Evaristo Arns e o rabino Henri Sobel, ele foi um dos responsáveis pelo histórico Ato Ecumênico na Catedral da Sé, em memória de Herzog, episódio que abalou a ditadura militar. Mais tarde, Audálio seria eleito presidente da Federação Nacional dos Jornalistas.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

Além de sua marcante participação como liderança sindical dos jornalistas, Audálio teve uma breve passagem pela política parlamentar, exercendo um mandato de deputado federal entre 1979 e 1983.

Todos os principais episódios relacionados à trajetória do jornalista como político estão registrados no livro “Audálio, deputado”, de Antonio Barbosa Filho. A obra mostra em detalhes a importância de sua atuação parlamentar em uma fase de transição democrática no país.

Convite

Convidado pelo então líder do MDB, Freitas Nobre, Audálio disputou uma vaga na Câmara dos Deputados nas eleições de novembro de 1978 e, apesar da total falta de recursos e de não ter nenhuma base partidária, se elegeu com mais de 50 mil votos.

Os quatro anos que passou na Câmara foram dedicados à defesa dos direitos humanos e dos trabalhadores, em um período no qual o Brasil tinha dezenas de presos políticos.

Audálio se envolveu em vários temas polêmicos, assim como estava fisicamente presente nas portas de fábricas do ABC paulista quando ocorreram as histórias greves de 1978, 79 e 80.

Nesse momento nascia um novo sindicalismo e também o PT, sob a liderança de Luiz Inácio Lula da Silva.

Em 1981, ao receber o prêmio Kenneth Kaunda de Direitos Humanos da ONU, em Nova Iorque (tendo como parceiros de honraria o ex-presidente norte-americano Jimmy Carter e a atriz sueca Liv Ülmann), Audálio fez a primeira defesa internacional de Lula, que já era perseguido pelos órgãos de segurança da ditadura.

Autor

Antonio Barbosa Filho, autor do livro “Audálio, deputado”, é jornalista, nascido em Taubaté (SP). Trabalhou em inúmeros veículos de imprensa, além de ter sido secretário de Gabinete Parlamentar de Audálio, durante a maior parte do seu mandato e se manteve amigo próximo por cerca de 40 anos.

Barbosa Filho é coordenador regional do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé no Vale do Paraíba e tem quatro livros publicados: “Cartas da Holanda” (2006); “A Bolívia de Evo Morales”, prefaciado por José Dirceu, (2008); “A Imprensa versus Lula” (2009); e “O Brasil na era dos imbecis – o discurso de ódio da Direita” (2011).

Serviço

“Audálio, deputado” é publicado pela João Scortecci Editora, tem 120 páginas, e prefácio do jornalista Altamiro Borges.

Em São Paulo tem lançamento marcado para o dia 26 de setembro, às 19 horas, no Centro Barão de Itararé, Rua Rêgo Freitas, 454 – 8º andar. Haverá homenagem a Audálio Dantas e sessão de autógrafos. Parte da renda da venda dos livros irá para o Centro Barão de Itararé.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum