Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
11 de dezembro de 2019, 16h38

Livro sobre “Autonomia Operária” na Itália dos anos 1970 é lançado na Ocupação Nove de Julho

“Um piano nas barricadas”, de Marcello Tari abre caminhos para que compreendamos os acontecimentos de junho 2013

Foto: Divulgação

As imagens de estudantes em confronto com a polícia em maio de 1968, na França, correram mundo e influenciaram pessoas e movimentos. Porém, no começo dos anos 1970, na Itália, um movimento tão importante quanto despontou: o “Autonomia Operária”. Tinha visão inovadora e, na pauta de discussões e debates, a multiplicidade dos feminismos e questões LGBTQIA+.

É justamente essa história – publicada pela primeira vez no Brasil –  que conta o livro “Um piano nas barricadas”, de Marcello Tari, uma coedição das editoras GLAC e N-1. O lançamento acontece no próximo domingo, dia 15 de dezembro, a partir das 15h, na Galeria Reocupa da Ocupação Nove de Julho (Rua Álvaro de Carvalho 427, São Paulo).

“Um piano nas barricadas” traz à luz a importância do movimento Autonomia Operária, um conjunto de ações e práticas – mais radicais se comparadas a Maio de 68, movimento que, em parte, se institucionalizou criando até mesmo partidos políticos (o movimento da Autonomia, por sua característica radicalmente experimental ficou conhecido inclusive como Maio Rastejante).

A Autonomia Operária foi, de uma forma diversa, mais potente que o movimento francês em termos de experimentalismos revolucionários no que consiste nas práticas criativas e inventivas. Por esta razão, o livro traz outra forma de se pensar insurreições sociais que não tenham caráter institucional. O livro abre caminhos para que compreendamos os acontecimentos de junho 2013, quando uma onda de protestos tomou conta do país. “Um piano nas barricadas” também ilumina a compreensão para fatos recentes acontecidos nos nossos vizinhos de América Latina, como Equador, Bolívia e Chile.

A obra de Marcelo Tari, que era jovem quando participou dos acontecimentos da Autonomia, em 1970, foi concebida em período turbulento da história da Itália. Naqueles tempos, o país estava mergulhado em greves descontroladas, trabalhadores que odiavam a fábrica, jovens selvagens que praticavam outros modos de vida, feminismos, contraculturas, lutas armadas. A Itália dos anos setenta era selvagem em quase todas as suas expressões.

Serviço

15 de dezembro, a partir das 15h, na Galeria Reocupa da Ocupação Nove de Julho (Rua Álvaro de Carvalho 427, São Paulo).


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum