Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
03 de fevereiro de 2020, 16h05

Luiz Antônio Simas: Carnaval contra fundamentalistas e fanáticos obscurantistas

Historiador vê o bom momento do carnaval carioca: “Precisamos, os que amamos isso, entender do que se trata. É muito mais que carnaval”

Último carro, com os livros e os professores, no desfile da Mangueira (Reprodução)

O historiador Luiz Antônio Simas fez uma sequência entusiasmada sobre o bom momento que vivem as Escolas de Samba do Rio de Janeiro. Segundo ele, são bons enredos, bons sambas, excelentes baterias – com andamentos cada vez melhores.

Simas lembra que “o prefeito do Rio detesta carnaval. É um fundamentalista perigoso. Fanáticos obscurantistas ocupam cargos estratégicos no governo federal. Há quem diga que eles desconhecem a força do carnaval. Pelo contrário. Conhecem e é exatamente por isso que o atacam”.

Leia a thread completa abaixo:

O ano das escolas de samba é especial: temos bons enredos (ex: Portela, Mangueira, Grande Rio, Salgueiro, Mocidade, Viradouro, São Clemente, Tijuca), bons sambas, excelentes baterias – com andamentos cada vez melhores após descacetamento dos anos 90 – artistas de ponta.

Nova geração de carnavalescos talentosos, ensaios de rua mobilizando Rio e Niterói, pautas pertinentes (intolerância religiosa, racismo religioso, legado indígena, outros signos para o Cristo, urbanismo, sátira política, centralidade de personagens negros, cultura popular).

Economia criativa empregando gente nos barracões, imprensa alternativa com pautas ousadas (acompanhem, p. ex., o trabalho do @Carnavalize), trabalho das turmas consagradas da @rdarquibancada, @scarnavalesco, @srzdcarnaval, etc.

Gente produzindo conteúdo e pensando o carnaval, inclusive na academia, escolas fortalecendo elos com suas comunidades – basta ver o que a Portela faz em Madureira, com iniciativas espetaculares -, vasto material circulando na rede…

Problemas existem? Sim e precisamos falar deles, mas me parece que o momento também é o de defender o carnaval, afirmar sua importância civilizatória, comunitária, original. Estimular quadras vivas, estudos, capacitação de trabalhadores, formação de novos compositores.

O prefeito do Rio detesta carnaval. É um fundamentalista perigoso. Fanáticos obscurantistas ocupam cargos estratégicos no governo federal. Há quem diga que eles desconhecem a força do carnaval. Pelo contrário. Conhecem e é exatamente por isso que o atacam.

Escolas de samba são instituições de vanguarda da cultura afro-carioca. Inventaram outra cidade, conferiram dignidade a seus territórios, construíram laços de pertencimento, produziram beleza. Precisamos, os que amamos isso, entender do que se trata. É muito mais que carnaval.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum