Mario Frias ‘avisa’ Academia Brasileira de Cinema que indicado ao Oscar deve ser “alinhado com governo”

Além de truculento e arrogante, secretário manifestou ignorância, pois a ABC é um órgão profissional que tem total independência para escolher seus indicados

O secretário de Cultura, Mario Frias, ligou na semana passada para Jorge Pellegrino, presidente da Academia Brasileira de Cinema. O objetivo era influir na escolha do filme brasileiro candidato ao Oscar de 2021.

Frias disse a Pellegrino que não poderia se repetir o que ocorreu neste ano, em que o documentário “Democracia em vertigem”, de Petra Costa, fora o escolhido. Ele disse ainda que o filme para 2021 deveria estar mais alinhado com os objetivos do governo federal.

Além de arrogante, a postura de Frias revela ignorância com relação aos trâmites dos filmes brasileiros que virão a concorrer ao prêmio.

A Academia Brasileira de Cinema é um órgão profissional que tem total independência para escolher seus indicados. Além disso, a instituição recebeu uma carta da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood chancelando que somente ela é a responsável pela indicação do filme brasileiro. E que o governo brasileiro nada tem a ver com esse assunto.

O secretário também desconhecia que o filme de Petra foi inscrito no Oscar pelo seu produtor, o Netflix.

Com informações da coluna de Lauro Jardim

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR