terça-feira, 22 set 2020
Publicidade

No Carnaval de SP, Acadêmicos do Tucuruvi fala sobre ditadura e liberdade

Um dos destaques do desfile das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo, já na madrugada deste sábado (2), foi a Acadêmicos do Tucuruvi, que usou como enredo a liberdade. Quarta agremiação a passar pelo Anhembi, a apresentação teve críticas políticas e sociais.

O samba-enredo relembrou versos da época da ditadura militar, como nas canções “Alegria, Alegria”, de Caetano Veloso, e “Apesar de você”, de Chico Buarque.

Da mesma forma que a Paraíso do Tuiuti, no Rio de Janeiro, em 2018, a escola paulistana apresentou uma ala com patos amarelos manipulados como marionetes, em alusão aos atos que pediram o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, em 2016.

No carro alegórico alusivo à Inconfidência, o destaque foi um banquete com uma ratazana gigante em frente ao Congresso Nacional. Na ala cujo tema era a CLT, os integrantes desfilaram vestidos como carteiras de trabalho.

Venda de votos

Outros componentes da escola sambaram representando “burros vendados”, em referência à venda de votos no Brasil.

Os caras-pintadas que pediram o impeachment de Fernando Collor de Mello, na década de 1990, também foram lembrados.

Em 2018, a escola não foi julgada, em função de um incêndio que destruiu parte de suas fantasias.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.