Fórumcast, o podcast da Fórum
05 de fevereiro de 2019, 08h33

Participante do ‘BBB 19’ diz que beijou menino de comunidade sem saber e ficou apavorada

Soprando com os novos tempos, a personagem do programa global dá declarações racistas e classistas desde o início e provoca reações na internet

Foto: Reprodução Rede Globo

Parece que é tudo combinado. De carona nos novos tempos, a Rede Globo colocou dentro da casa do programa Big Brother Brasil uma participante que dá declarações racistas, classistas e causa revolta entre os internautas. No último fim de semana, a participante Paula, do ‘BBB 19’, soltou mais um comentário preconceituoso, fato recorrente no seu personagem.

Ela disse que beijou um menino quando era pré-adolescente por ele ser idêntico ao primo por quem ela era apaixonada. Entretanto, ela ficou apavorada ao descobrir que o menino morava em uma comunidade carente.

“Com 12 anos tinha um menino na minha escola que era idêntico a ele. E como meu primo me achava muito criança, não me dava muita moral, esse menino era igualzinho a ele. Só que ele era de uma favela pesadona da minha cidade e eu não sabia. Aí eu fui e beijei-o, eu precisava beijar, porque eu não tinha o meu primo e eu era apaixonada. Beijei o menino da favela. Mas ele tinha uma namoradinha da favela também, e descobriram. Um belo dia, numa festa junina que teve na minha escola, baixou a favela inteira lá…”, declarou ela aos risos.

A declaração da moça atingiu o objetivo e teve reação imediata na internet. Até o cantor Marcelo D2, comentou o assunto. “Pessoas de bem beijando menino da favela… Que vergonha desse Brasil. Regredimos”, disse ele.

Já no dia 31 de janeiro, a hashtag “BBB Protege Racista”, em referência às declarações de Paula dentro da casa, bombou na internet.

O reality show mostrou a confinada sugerindo que piadas ou ofensas à “loira burra” são equivalentes a racismo, em conversa com Gabriela e Rodrigo, que são negros.

“Vamos supor: alguém faz um ato de racismo contra um negro. Fala assim: ‘Você é um neguinho não sei o quê.’ Mas se chega, por exemplo, numa loira e fala: ‘Essa é uma loira burra e tal’. Começa a denegrir a pessoa por ser loira”. Diante de algumas contestações, Paula pareceu concordar: “Não é racismo. Lógico que não é racismo”, disse.

Apesar disso, a edição não mostrou uma última pergunta dela a respeito: “Por que dói nele [a vítima de racismo] e não vai doer em você?”.

De acordo com o “Uol”, também não foi ao ar na Globo a reação dos brothers ao relato de Paula. Didaticamente, os dois mostraram a diferença entre ofensas raciais e ofensas por ser loira.

Com informações do Catraca Livre

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum