Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
05 de fevereiro de 2019, 08h33

Participante do ‘BBB 19’ diz que beijou menino de comunidade sem saber e ficou apavorada

Soprando com os novos tempos, a personagem do programa global dá declarações racistas e classistas desde o início e provoca reações na internet

Foto: Reprodução Rede Globo

Parece que é tudo combinado. De carona nos novos tempos, a Rede Globo colocou dentro da casa do programa Big Brother Brasil uma participante que dá declarações racistas, classistas e causa revolta entre os internautas. No último fim de semana, a participante Paula, do ‘BBB 19’, soltou mais um comentário preconceituoso, fato recorrente no seu personagem.

Ela disse que beijou um menino quando era pré-adolescente por ele ser idêntico ao primo por quem ela era apaixonada. Entretanto, ela ficou apavorada ao descobrir que o menino morava em uma comunidade carente.

“Com 12 anos tinha um menino na minha escola que era idêntico a ele. E como meu primo me achava muito criança, não me dava muita moral, esse menino era igualzinho a ele. Só que ele era de uma favela pesadona da minha cidade e eu não sabia. Aí eu fui e beijei-o, eu precisava beijar, porque eu não tinha o meu primo e eu era apaixonada. Beijei o menino da favela. Mas ele tinha uma namoradinha da favela também, e descobriram. Um belo dia, numa festa junina que teve na minha escola, baixou a favela inteira lá…”, declarou ela aos risos.

A declaração da moça atingiu o objetivo e teve reação imediata na internet. Até o cantor Marcelo D2, comentou o assunto. “Pessoas de bem beijando menino da favela… Que vergonha desse Brasil. Regredimos”, disse ele.

Já no dia 31 de janeiro, a hashtag “BBB Protege Racista”, em referência às declarações de Paula dentro da casa, bombou na internet.

O reality show mostrou a confinada sugerindo que piadas ou ofensas à “loira burra” são equivalentes a racismo, em conversa com Gabriela e Rodrigo, que são negros.

“Vamos supor: alguém faz um ato de racismo contra um negro. Fala assim: ‘Você é um neguinho não sei o quê.’ Mas se chega, por exemplo, numa loira e fala: ‘Essa é uma loira burra e tal’. Começa a denegrir a pessoa por ser loira”. Diante de algumas contestações, Paula pareceu concordar: “Não é racismo. Lógico que não é racismo”, disse.

Apesar disso, a edição não mostrou uma última pergunta dela a respeito: “Por que dói nele [a vítima de racismo] e não vai doer em você?”.

De acordo com o “Uol”, também não foi ao ar na Globo a reação dos brothers ao relato de Paula. Didaticamente, os dois mostraram a diferença entre ofensas raciais e ofensas por ser loira.

Com informações do Catraca Livre

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum