Pedro Cardoso: Revelação do nazifascismo em 70 milhões de eleitores me divorciou do Brasil

"Em nada me surpreende que Messias se regozije com a oportunidade que a pandemia o traz de ser intencionalmente descuidado, relapso e arrogante perante a covid. Agrada-o ver morrer", diz o ator

Em texto crítico ao governo e ao “paralisado” campo progressista no Instagram, o ator Pedro Cardoso, que mora atualmente em Portugal, afirmou que não se surpreende com a inação de Jair Bolsonaro na pandemia – “agrada-o ver morrer” -, mas que ainda se surpreende com quem nele se espelha.

“É evidente a má vontade do (des)governo federal em relação à possibilidade de a população ser vacinada. A morte é festa para sádicos. Adoradores de torturadores são adoradores da morte. Em nada me surpreende que Messias se regozije com a oportunidade que a pandemia o traz de ser intencionalmente descuidado, relapso e arrogante perante a covid. Agrada-o ver morrer. A minha surpresa ñ é c/ ele mas c/ quem nele se espelha. A revelação deste nazifascismo em 70 milhões de eleitores me divorciou do Brasil”, disse o ator, ressaltando que já não entenda “o que seja ser brasileiro”.

Ressaltando símbolos da luta ambiental, como Chico Mendes, e da cultura nacional, Cardoso diz que o Brasil se transformou em um “lugar onde médicos são cúmplices de um genocida, empresários torcem pela destruição das defesas trabalhistas, líderes sindicais não defendem trabalhadores, a bíblia é um livro obscuro de autoajuda para enriquecimento, a reforma agrária não é mais assunto, um general subserviente à mentira é ministro da saúde e tudo o mais que está ai no poder”.

Cardoso ainda critica a “paralisação” do campo progressista “pelo que há de semelhante entre ele e seus inimigos: que é a paixão desvairada pelo Poder. Chegar ao poder por não desejá-lo é o futuro”, diz o ator, indagando a si mesmo. “Mas quem?”.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR