Fórumcast #19
26 de março de 2019, 12h01

“Um Defeito de Cor”, de Ana Maria Gonçalves, vai virar minissérie da Rede Globo

“Uma das coisas que consegui conversar com eles (a Globo) foi de ter uma equipe feminina e negra, e isso tem”, conta a escritora

Fotos: Fernando Cavalcanti/Divulgação

O premiado livro “Um Defeito de Cor”, da escritora Ana Maria Gonçalves, vai virar minissérie da Rede Globo. O romance, publicado em 2006, é fruto de longa pesquisa acerca da sociedade brasileira escravista do século XIX.

Foto: Divulgação

Um defeito de cor é narrado por Kehinde, que até os oito anos de idade vivia em Savalu, África. Após a morte da mãe e do irmão, ela, junto da avó e de Taiwo, sua irmã gêmea, viajam sem rumo e chegam a Uidá. Nessa cidade, as três são capturadas e jogadas em um navio negreiro com destino ao Brasil. Ao fim da viagem, Kehinde é a única sobrevivente da família.

Após longa jornada de idas e vindas, derrotas e vitórias, Kehinde, já velha, conta a sua história, que se confunde com grandes épicos da literatura universal.

Sobre a adaptação para a TV, a autora conta: “Vai sair em 2020. Conversei com a Maria Camargo [roteirista], não quero acompanhar, não tenho desapego o suficiente. Uma das coisas que consegui conversar com eles foi de ter uma equipe feminina e negra, e isso tem. Temos dois homens negros, uma mulher negra e mais um homem e duas mulheres brancas”, se orgulha. A produção conta ainda com consultoria de Nei Lopes e pesquisa de Eduarda Azevedo.

Veja também:  Abuso de autoridade: Bancada da bala cobra Bolsonaro por vetos que "atrapalham" atividade policial

PERFIL

Ana Maria Gonçalves nasceu em Ibiá (MG) em 1970. Trabalhou com publicidade até 2001, quando se mudou para Ilha de Itaparica e escreveu “Ao lado e à margem do que sentes por mim” e “Um defeito de cor” (Editora Record), ganhador do Prêmio Casa de las Américas (Cuba, 2007). Já publicou em Portugal, Itália e nos EUA, onde ministrou cursos e palestras sobre relações raciais e fez residência em universidades como Tulane, Stanford e Middlebury. Mora em São Paulo, onde escreve também para teatro, cinema e televisão.

Com informações de A Crítica


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum