Imprensa livre e independente
25 de outubro de 2018, 19h20

Datafolha: Rejeição de Bolsonaro sobe e a de Haddad desce

O índice de rejeição do candidato militar subiu de 41% para 44%, enquanto o do petista caiu de 54% para 52%, em relação ao último levantamento

A pesquisa Datafolha para a presidência da República também mediu o índice de insatisfação do eleitorado em relação aos dois candidatos. Nesse quesito, a rejeição a Jair Bolsonaro (PSL) subiu de 41%, registrado no último levantamento, para 44%, aumentando 3 pontos percentuais. Em contrapartida, a rejeição a Fernando Haddad (PT) diminuiu de 54% para 52%, baixando 2 pontos. O Datafolha perguntou: “E entre estes candidatos a presidente, gostaria que você me dissesse se votaria com certeza, talvez votasse ou não votaria de jeito nenhum em”: Jair Bolsonaro – Com certeza votaria nele para presidente – 46%; Talvez votasse – 9%; Não votaria...

A pesquisa Datafolha para a presidência da República também mediu o índice de insatisfação do eleitorado em relação aos dois candidatos. Nesse quesito, a rejeição a Jair Bolsonaro (PSL) subiu de 41%, registrado no último levantamento, para 44%, aumentando 3 pontos percentuais. Em contrapartida, a rejeição a Fernando Haddad (PT) diminuiu de 54% para 52%, baixando 2 pontos.

O Datafolha perguntou: E entre estes candidatos a presidente, gostaria que você me dissesse se votaria com certeza, talvez votasse ou não votaria de jeito nenhum em”:

Jair Bolsonaro – Com certeza votaria nele para presidente – 46%; Talvez votasse – 9%; Não votaria nele de jeito nenhum – 44%; Não sabem – 2%.

Fernando Haddad – Com certeza votaria nele para presidente – 37%; Talvez votasse – 9%; Não votaria nele de jeito nenhum – 52%; Não sabem – 2%.

Veja também:  Moro participou de palestra paga com convite antecipado por Dallagnol: “você pode pedir mais”

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum