Imprensa livre e independente
13 de junho de 2019, 14h43

Defesa de Lula inclui conversas espúrias de Moro com Dallagnol em ação que tramita no STF

Os advogados de Lula sustentam que as mensagens comprovam o "completo rompimento da imparcialidade objetiva e subjetiva"

O ex-presidente Lula (Foto: Reprodução)
A defesa do ex-presidente Lula apresentou nesta quinta-feira (13) ao Supremo Tribunal Federal (STF) as conversas divulgadas pelo site The Intercept entre o ex-juiz federal e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, e o procurador Deltan Dallagnol, da Operação Lava Jato, como prova da parcialidade do magistrado na condução do caso do Triplex do Guarujá. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo No documento, os advogados apontam que as conversas “revelam a conjuntura e minúcias das circunstâncias históricas em que ocorreram”. A defesa de Lula, desde o início dos processos,...

A defesa do ex-presidente Lula apresentou nesta quinta-feira (13) ao Supremo Tribunal Federal (STF) as conversas divulgadas pelo site The Intercept entre o ex-juiz federal e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, e o procurador Deltan Dallagnol, da Operação Lava Jato, como prova da parcialidade do magistrado na condução do caso do Triplex do Guarujá.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

No documento, os advogados apontam que as conversas “revelam a conjuntura e minúcias das circunstâncias históricas em que ocorreram”. A defesa de Lula, desde o início dos processos, sustenta que Moro seria um juiz parcial e que não poderia julgar as ações contra o petista.

A defesa diz ainda que as mensagens relatam “situações incompatíveis com a ‘exigência de exercício isento da função jurisdicional’ e que denotam o completo rompimento da imparcialidade objetiva e subjetiva”.

Os advogados utilizam uma frase de Moro a respeito da divulgação de conversas entre Lula e a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2016, para embasar a ação. “O problema ali não era a captação do diálogo e a divulgação do diálogo, o problema era o diálogo em si, o conteúdo do diálogo, que ali era uma ação visando burlar a justiça e esse era o ponto”, disse Moro na ocasião.

Veja também:  CNMP deve avaliar caso contra Deltan Dallagnol em 13 de agosto

O recurso deve ser julgado pelo STF no próximo dia 25. Caso o recurso seja aceito, Lula poderá deixar a prisão. Moro condenou o petista no processo do tríplex, em julho do 2017. A ação levou o ex-presidente para a prisão em abril de 2018.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum