Imprensa livre e independente
22 de março de 2019, 09h37

Delação que pode atingir Fux coloca STF em alerta

O empresário, conhecido como o "rei do ônibus" do Rio de Janeiro, diz que um ex-assessor de Fux, do STF, teria recebido milhões de reais para ajudar a influenciar uma decisão judicial

(Foto: Roberto Jayme/ASCOM/TSE_
Rumores de que uma delação premiada pode atingir, ainda que indiretamente, Luiz Fux, um dos ministros do tribunal, colocou o STF (Supremo Tribunal Federal) em alerta nesta quinta-feira (22). A revista “Veja” revelou, nesta sexta-feira, a existência de um anexo na delação do empresário Jacob Barata. Nele, o empresário conhecido como o “rei do ônibus” do Rio de Janeiro, diz que um ex-assessor do ministro Luiz Fux, do STF, teria sido o destinatário de uma propina de milhões de reais para ajudar a influenciar uma decisão judicial. Barata diz, de acordo com a reportagem, que, em 2011, ouviu do então presidente...

Rumores de que uma delação premiada pode atingir, ainda que indiretamente, Luiz Fux, um dos ministros do tribunal, colocou o STF (Supremo Tribunal Federal) em alerta nesta quinta-feira (22).

A revista “Veja” revelou, nesta sexta-feira, a existência de um anexo na delação do empresário Jacob Barata.

Nele, o empresário conhecido como o “rei do ônibus” do Rio de Janeiro, diz que um ex-assessor do ministro Luiz Fux, do STF, teria sido o destinatário de uma propina de milhões de reais para ajudar a influenciar uma decisão judicial.

Barata diz, de acordo com a reportagem, que, em 2011, ouviu do então presidente do conselho da Fretranspor, José Carlos Lavouras, que vive hoje em Portugal, que precisava retirar dinheiro do caixa para repassar a um assessor do ministro. A propina seria paga para influenciar uma decisão judicial.

José Antônio Nicolao Salvador, o funcionário que teria recebido o pagamento, foi demitido do gabinete de Fux em 2016 porque, segundo o ministro disse à revista, parecia ostentar um padrão de vida superior ao que seu salário permitia.

Veja também:  Toffoli diz que Estado sem controle do Judiciário é "fascista" para defender sua decisão pró Flávio Bolsonaro

O assessor nega que tenha recebido recursos.

Com informações da coluna de Mônica Bergamo.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum