Editorial: A sociedade mais sedenta por participação

A sanção, pela presidenta Dilma Rousseff, do Marco Civil da Internet, no último dia 23, durante a abertura do Encontro Global Multissetorial sobre o Futuro da Governança da Internet – NET Mundial, traz o desafio, a partir de agora, de os governos pensarem em novas maneiras de lidar com uma sociedade cada vez mais sedenta por participação, fomentada pelas redes sociais.

Esse anseio por maior horizontalidade na atuação política é uma das consequências das várias edições do Fórum Social Mundial. Desde a primeira, em 2001, em Porto Alegre, sob a rubrica de “Um outro mundo possível”, o Brasil e o mundo mudaram bastante, e aquilo que na época era um embrião – novas formas de se fazer comunicação -, agora é uma realidade que, com a transformação do Marco Civil em lei, ganha mais possibilidades de democratização dos meios de informação.

Em um balanço sobre os 12 anos do Fórum Social Mundial, nesta edição da Fórum Semanal Digital, uma questão que se coloca é se um outro mundo ainda é possível. De 2001 até hoje, a pauta mundial se modificou, governos de perfil mais progressista se espalharam pela América Latina e a sociedade hoje está mais interconectada pelo avanço da tecnologia digital. A agenda mudou e as relações de poder, também.

No Brasil, as manifestações que eclodiram em junho do ano passado vieram demonstrar que a sociedade já não se organiza pelas formas tradicionais, está mais antenada e sintonizada por meio da comunicação em rede e a forma de lidar com essa nova realidade é que pode balizar as ações dos governos no atendimento das demandas sociais.