Fórumcast, o podcast da Fórum
10 de setembro de 2019, 11h40

Após condenação por entrar em estádio de futebol, torcedora iraniana coloca fogo no próprio corpo

Para tentar ingressar no estádio, Sahar Khodayari fingiu ser um homem; usava uma peruca azul e um longo casaco quando a polícia descobriu e a deteve

Foto: Reprodução/Twitter

Uma torcedora de futebol iraniana se matou depois de colocar fogo no próprio corpo. A atitude foi um protesto após ela tomar conhecimento que podia ter de cumprir uma sentença de seis meses de prisão por ter tentado entrar em um estádio.

No Irã as mulheres são banidas de assistir jogos em estádios de futebol, apesar de serem aceitas em outros esportes, como o vôlei, por exemplo.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

Sahar Khodayari não resistiu aos ferimentos e morreu em um hospital de Teerã, de acordo com a agência de notícias Shafaghna. Aos 30 anos, ela era conhecida como a “Garota Azul” nas mídias sociais pelas cores de time que torcia: o Esteghlal.

Para tentar ingressar no estádio, Sahar fingiu ser um homem. Usava uma peruca azul e um longo casaco quando a polícia descobriu e a deteve.

A mulher era formada em ciências da computação, passou três noites na prisão antes de ser liberada para acompanhar o processo judicial. Até agora, nenhum veredicto foi proferido no caso dela.

Boicote

O ex-jogador do Bayern de Munique, da Alemanha, Ali Karimi, que sempre defendeu o direito das mulheres de entrarem em praças de esportes, pediu, em suas redes sociais, para que os iranianos boicotem os estádios, em protesto pela morte da torcedora.

O ministro da tecnologia da informação e comunicação, Mohammad Javad Azari Jahromi, descreveu o caso como um “incidente amargo”.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum