Fórumcast, o podcast da Fórum
24 de abril de 2019, 16h59

Associação Nacional de Travestis e Transexuais lança filme baseado em “Meu Primeiro Sutiã”

Baseado no clássico comercial dos anos 80, o filme chama atenção para o acolhimento a pessoas trans no seio familiar, um dos primeiros espaços de transfobia enfrentado

Foto: Reprodução

A Madre Mia Filmes produziu um filme Inspirado na clássica propaganda “Meu Primeiro Sutiã”, de 1987, de Washington Olivetto, cuja protagonista é uma mulher trans. O filme, baseado em uma história real, conta o caso de uma adolescente trans, que aos 10 anos conseguiu mudar o seu registro e ser legalmente chamada de Ludmila Galvan. Aos 12, ganhou seu primeiro sutiã.

Ela enfrenta colegas transfóbicos na escola, as pressões para se enquadrar no gênero masculino, até que o pai fica sabendo de sua transgeneridade, por meio de um diário com diversas fotos. A primeira reação não é das melhores, mas logo algo inesperado ocorre: Ludmila é acolhida e ganha um presente.

MEU PRIMEIRO SUTIÃ from Madre Mia Filmes on Vimeo.

A mãe Daniela Galvan aparece ao fim dando um depoimento: “Sempre foi uma menina por dentro. Uma menina, mas por fora um menino. Mas ela é uma mulher (…). Seja o que quiserem ser e sejam livres. Não se escondam. Se gosta de ser algo, seja”, declara.

Ao site PropMark, Washington Olivetto – o criador da primeira propaganda Meu primeiro Sutiã – comentou: “Acho mais do que natural que nos dias de hoje, quando a opção trangênero saiu do armário na vida e por consequência na publicidade, que seja feito um filme como esse inspirado no ‘O Primeiro Sutiã’”.

O filme foi feito para a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA) e a divulgação da campanha na mídia será feita pela ROIx Content. Ele chama atenção para o acolhimento a pessoas trans no seio familiar, um dos primeiros espaços de transfobia enfrentado.

Com informações de Neto Lucon

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum