Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
10 de dezembro de 2018, 18h47

Brasileira oferece trabalho escravo em sua casa para cubanas e venezuelanas

"Uma mão lava a outra": Brasileira que quer aprender espanhol postou um anúncio com uma vaga de "trabalho" para venezuelanas ou cubanas em sua residência e as exigências são que as candidatas, além de ensinar o idioma, realizem serviços domésticos em troca de moradia

Reprodução/Facebook

Um anúncio para uma vaga de “trabalho” viralizou e vem causando revolta nas redes sociais desde domingo (9). Uma brasileira identificada como Fernanda Loureço fez uma postagem em um grupo de empregos no Facebook em que anunciava vaga para “moças venezuelanas ou cubanas” em troca de moradia.

De acordo com a mulher, a ideia é que a candidata que vier a preencher a vaga ensine espanhol para ela e para seus filhos e realize inúmeros serviços domésticos, como lavar, passar, cozinhar, cuidar de crianças e animais. Em troca, a trabalhadora receberia apenas “moradia”: um quarto nos fundos da casa com uma cama – ou seja, um trabalho análogo à escravidão.

“Realmente é para quem precisa. Uma mão lava a outra”, escreveu.

Fórum tentou contato com a autora do anúncio para confirmar a veracidade da vaga mas não obteve retorno até a publicação desta nota.

A postagem da mulher foi divulgada pela página “Vagas Arrombadas” e, entre milhares de críticas, já foi compartilhada mais de 5 mil vezes.

Vagas Arrombadas 

A página “Vagas Arrombadas” reúne vagas de emprego precárias,  abusivas e análogas à escravidão – como a do anúncio em questão e atua no sentido de expor empresas e empregadores. Diariamente os administradores da página recebem denúncias de quem está procurando trabalho e se depara com salários, condições, exigências e contratos bizarros.

Saiba mais aqui.

 

 

 

 

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum