O que o brasileiro pensa?
26 de janeiro de 2020, 07h49

Comunidade japonesa se revolta com declaração racista de Bolsonaro contra jornalista Thays Oyama

O presidente disse que a autora do livro "Tormenta" morreria de fome se tentasse ser jornalista no Japão

Thays Oyama - Foto: Reprodução/ioutube

A agressão racista e xenófoba de Jair Bolsonaro contra uma jornalista brasileira descendente de japoneses repercutiu muito mal na comunidade de nisseis no País. “Nikkeis se manifestam contra fala do presidente” é o título de uma página da edição mais recente do jornal Nippak, que chegou às bancas do bairro da Liberdade, na capital paulista. Sob a manchete, dois artigos de membros da comunidade com críticas ao presidente, de acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, neste domingo (26).

O alvo da agressão de Jair Bolsonaro foi a jornalista Thays Oyama, autora do livro “Tormenta”, que revela bastidores do governo atual e também a paranoia de Bolsonaro, que se referiu a ela como “aquela japonesa” e também afirmou que ela morreria de fome se tentasse ser jornalista no Japão. Thays é neta de japoneses e nasceu em Mogi das Cruzes, no interior de São Paulo.

Para estudiosos do tema, integrantes da comunidade e advogados consultados pela Folha, “as expressões de Bolsonaro sobre a autora embutem racismo e xenofobia e se somam a outras vezes em que o presidente recorreu a estereótipos e fez comentários sobre características físicas da etnia”. De acordo com eles, a situação poderia ser classificada como injúria racial. A jornalista, contudo, disse que não irá processar Bolsonaro.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum