Deputado que apalpou Isa Penna diz “não saber do que é acusado”

Fernando Cury fez alegação em defesa que apresentou a seu partido; vítima do assédio, deputada pede que Alesp inicie apuração em janeiro

O deputado estadual paulista Fernando Cury (Cidadania), flagrado ao apalpar a colega Isa Penna (PSOL-SP) no meio do plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), alegou, em defesa apresentada à comissão de ética de seu partido, que não sabe do que é acusado.

A defesa do parlamentar foi obtida pelo jornal Folha de São Paulo, que a publicou nesta terça-feira (5). Cury foi afastado pela legenda após a repercussão do caso, em dezembro de 2020.

No documento, Cury contesta a validade do processo aberto pelo Cidadania para investigá-lo. Alega que “nem sequer sabe exatamente do que está sendo acusado” e pede que o processo seja reiniciado no diretório estadual.

Embora Cury argumente não saber do que é acusado, a cena em que ele se aproxima de Isa Penna por trás da deputada e a abraça, tocando seus seios, foi flagrada pelas câmeras da casa. Os dois estavam no centro do plenário. Isa falava com o presidente da casa, Cauê Macris (PSDB), que estava na mesa, quando foi assediada.

Processo já em janeiro

Em suas redes sociais, Isa pediu nesta terça-feira que a Alesp convoque sessão extraordinária em janeiro para iniciar a apuração do caso no Conselho de Ética. Ela teme que, se a apuração só começar em 1º de fevereiro, quando termina o recesso parlamentar, a pressão sobre o episódio esfrie.

“O caso de assédio que vivi no fim de 2020 precisa ser aberto agora em janeiro, portanto estamos pedindo ajuda a TODOS os deputados, ao Cauê Macris e SGP, para iniciar sessão extraordinária, ajudem com esse pedido! É por todas nós”, escreveu ela.

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR