Entrevista exclusiva com Lula
29 de março de 2019, 10h55

Desemprego: Após reforma trabalhista de Temer e sob Bolsonaro, Brasil bate recorde com 27,9 milhões de subutilizados

Grupo de pessoas que inclui desocupados, quem trabalha menos de 40 horas semanais e os disponíveis para trabalhar, mas que não conseguem procurar emprego, chegou ao pico da série, iniciada em 2012, segundo o IBGE

Mutirão por emprego levou multidão para o Vale do Anhangabaú, em São Paulo (Foto: Reprodução/ Rede Globo)

Menos de dois anos depois da reforma trabalhista de Michel Temer – que sucateou a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) – e com o emprego formal sob risco ainda maior com os planos de Paulo Guedes e Jair Bolsonaro (PSL), a mão de obra subutilizada – grupo que inclui desocupados, quem trabalha menos de 40 horas semanais e os disponíveis para trabalhar, mas que não conseguem procurar emprego – chegou ao pico da série, iniciada em 2012, ao atingir 27,9 milhões de pessoas.

Leia também: Mutirão por emprego leva multidão para o Vale do Anhangabaú, em São Paulo

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) divulgados nesta sexta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que detectou aumento de 0,9 pontos porcentuais no desemprego, que chegou a 12,4% da população economicamente ativa no último trimestre – comparados a três meses anteriores.

A população desocupada (13,1 milhões) cresceu 7,3% (mais 892 mil pessoas) frente ao trimestre de setembro a novembro de 2018 (12,2 milhões).

Outro recorde foi o número de pessoas desalentadas –aquelas que desistem de procurar emprego. Nesses três meses, 4,9 milhões de brasileiros se encontravam nessa condição.

Leia a pesquisa do PNAD na íntegra.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum