Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
21 de agosto de 2019, 12h15

Fim da participação social: saiba quais conselhos da pasta de Direitos Humanos foram extintos por Bolsonaro

Depois de uma série de contra-ataques da ONU alarmando sobre o risco de tal decisão, o governo já deixou claro que vê necessidade de uma reforma nos conselhos da administração pública, como forma de "despetizar" o Estado

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Desde o dia 11 de abril, o governo de Jair Bolsonaro tem se pronunciado sobre a extinção de diversos conselhos da administração pública, que permitem participação da sociedade em decisões políticas. Só nesta segunda-feira (19), o Diário Oficial informou que seis conselhos foram extintos da pasta de Direitos Humanos, comandada pelo ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, de Damares Alves.

Os cortes mais polêmicos estão nos conselhos que tratam de Gênero, Diversidade e Inclusão. Além destes, também foram extintos os comitês para a Desburocratização, o de Convênios e Contratos Administrativos, o da Segurança da Informação e Comunicação e o da Agenda de Convergência para a proteção integral dos direitos de crianças e adolescentes impactados por obras ou empreendimentos.

O Facebook silenciou a Fórum. Censura? Clique aqui e nos ajude a lutar contra isso

Depois de uma série de contra-ataques da ONU alarmando sobre o risco de tal decisão, o governo já deixou claro que vê necessidade de uma reforma nos conselhos da administração pública, como forma de “despetizar” o Estado e reduzir gastos em entidades consideradas “supérfluas”.

Em carta enviada às Nações Unidas no último dia 14 de agosto, o Itamaraty apontou que manteria quase 20 conselhos, número ainda mais reduzido dos 31 citados pelo vice-presidente, Mourão, em junho. No entanto, a carta à ONU deixou de informar alguns cortes polêmicos – como na pasta Direitos Humanos.

Orçamento

Com 13,6 milhões de reais no orçamento deste ano, o Ministério da Mulher ainda não começou a construção da Casa da Mulher Brasileira, uma das principais iniciativas do governo federal para o enfrentamento da violência contra a mulher no Brasil. O programa prevê a implantação de centros de atendimento multidisciplinar para mulheres vítimas de violência em 25 capitais brasileiras – atualmente, apenas cinco estão abertos.

Dos quase 20 órgãos que serão mantidos, estão o Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH); o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda); Conselho Nacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência (Conade); Conselho Nacional dos Direitos do Idoso (CNDI); Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura (CNPCT); Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura (MNPCT); Comissão Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (CNPCT); Conselho Nacional de Combate à Discriminação (CNCD); Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM); Conselho Nacional da Juventude (Conjuve); e Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR).

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum