Fórumcast, o podcast da Fórum
10 de fevereiro de 2018, 10h26

Jean Wyllys comemora proibição do bloco “Porão do Dops”: “O Carnaval é uma festa democrática”

 “Os criadores e apoiadores do bloco terão que se contentar em ver a alegria e as cores de uma festa sobretudo democrática e plural passando pela avenida à sua frente! Será um péssimo dia para colocar o bloquinho dos ressentidos e dos mal-amados na rua, não?”, escreveu o deputado.

 “Os criadores e apoiadores do bloco terão que se contentar em ver a alegria e as cores de uma festa sobretudo democrática e plural passando pela avenida à sua frente! Será um péssimo dia para colocar o bloquinho dos ressentidos e dos mal-amados na rua, não?”, escreveu o deputado.

Da Redação

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) comemorou a decisão da justiça paulistana que proibiu que o bloco “Porão do Dops” se utilize de qualquer meio de “enaltecimento ou divulgação de tortura”. Ele publicou um texto, em sua página no Facebook, destacando o fato:

“A justiça paulistana decidiu rever a decisão delirante da juíza Daniela Pazzeto, que não apenas liberou o bloco carnavalesco que abertamente homenageia os chefes da tortura durante a ditadura militar e celebra a tortura praticada nos “porões” do Departamento de Ordem Política e Social, como não viu (pasmem!) qualquer menção aos crimes de lesa-humanidade cometidos ali. O recurso julgado ontem impõe multa caso o bloco se utilize de qualquer meio de “enaltecimento ou divulgação de tortura”, conforme especifica a decisão liminar do juiz Rubens Queiroz Gomes.

Em seu voto, Daniela havia inclusive ignorado que o próprio Tribunal de Justiça de São Paulo havia declarado Ustra culpado pela tortura e assassinato de Maria Amélia Teles, e que Sergio Fleury foi condenado, em 1972, por ser o chefe do Esquadrão da Morte – algo que ele sempre assumiu publicamente com orgulho -. Trata-se de claro uso político da função de juiz de direito, paga pelo erário de um Estado democrático e que oficialmente repudia os atos cometidos durante a ditadura (mas que, infelizmente, ainda não fez o luto daqueles dias!), para promoção do ódio e para a salvaguarda de crimes que estão tipificados no código penal!

Os criadores e apoiadores do bloco “Porão do Dops” terão que se contentar em ver a alegria e as cores de uma festa sobretudo democrática e plural passando pela avenida à sua frente! Será um péssimo dia para colocar o bloquinho dos ressentidos e dos mal-amados na rua, não?”.

Foto: Luís Macedo/Câmara dos Deputados

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum