Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
12 de maio de 2019, 13h31

Movimento ‘Mães de Maio’ lança livro com histórias dos filhos mortos pelo Estado

O livro “Memorial dos Nossos Filhos Vivos - As vítimas invisíveis da Democracia” traz, além dos textos, imagens dos 26 jovens que foram assassinados por agentes do Estado quando crianças e adolescentes

(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

O Movimento Independente Mães de Maio lançará em São Paulo, na quinta-feira (16), o livro “Memorial dos Nossos Filhos Vivos – As vítimas invisíveis da Democracia”. O evento ocorrerá no Auditório da Faculdade de Direito do Largo do São Francisco da Universidade de São Paulo (USP), a partir das 19h.

A obra, organizada pela coordenadora do movimento, Débora Silva Maria, resgata a memória de 26 jovens mortos por agentes do Estado, em depoimentos ricos de histórias vividas e detalhes de amor, alegria e também de dor e saudade. “Eles não eram suspeitos ou criminosos. Eram nossos filhos. Tinham nome, sobrenome, residência fixa. Eles só eram suspeitos para o terrorismo do Estado”, afirma Débora.

Este primeiro volume conta com depoimentos de mães da Amazônia, Pará, Ceará, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo e de uma mãe de Chicago (EUA).

Após o lançamento, as mães convocarão os participantes para um cortejo até as escadarias da catedral da Sé, com velas, em homenagem à todas as vítimas da violência do Estado brasileiro.

As Mães de Maio surgiram após o assassinato de quase 600 pessoas em maio de 2006, em meio ao fogo cruzado entre PCC (Primeiro Comando da Capital ) e a polícia.

Serviço

Lançamento do Livro: “Memorial dos Nossos Filhos Vivos. As vítimas invisíveis da democracia.”

Local: Auditório da Faculdade de Direito do Largo do São Francisco da Universidade de São Paulo, Centro, São Paulo, SP – Dia 16 de maio, a partir das 19h


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum