Fórumcast, o podcast da Fórum
12 de maio de 2019, 13h31

Movimento ‘Mães de Maio’ lança livro com histórias dos filhos mortos pelo Estado

O livro “Memorial dos Nossos Filhos Vivos - As vítimas invisíveis da Democracia” traz, além dos textos, imagens dos 26 jovens que foram assassinados por agentes do Estado quando crianças e adolescentes

(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

O Movimento Independente Mães de Maio lançará em São Paulo, na quinta-feira (16), o livro “Memorial dos Nossos Filhos Vivos – As vítimas invisíveis da Democracia”. O evento ocorrerá no Auditório da Faculdade de Direito do Largo do São Francisco da Universidade de São Paulo (USP), a partir das 19h.

A obra, organizada pela coordenadora do movimento, Débora Silva Maria, resgata a memória de 26 jovens mortos por agentes do Estado, em depoimentos ricos de histórias vividas e detalhes de amor, alegria e também de dor e saudade. “Eles não eram suspeitos ou criminosos. Eram nossos filhos. Tinham nome, sobrenome, residência fixa. Eles só eram suspeitos para o terrorismo do Estado”, afirma Débora.

Este primeiro volume conta com depoimentos de mães da Amazônia, Pará, Ceará, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo e de uma mãe de Chicago (EUA).

Após o lançamento, as mães convocarão os participantes para um cortejo até as escadarias da catedral da Sé, com velas, em homenagem à todas as vítimas da violência do Estado brasileiro.

As Mães de Maio surgiram após o assassinato de quase 600 pessoas em maio de 2006, em meio ao fogo cruzado entre PCC (Primeiro Comando da Capital ) e a polícia.

Serviço

Lançamento do Livro: “Memorial dos Nossos Filhos Vivos. As vítimas invisíveis da democracia.”

Local: Auditório da Faculdade de Direito do Largo do São Francisco da Universidade de São Paulo, Centro, São Paulo, SP – Dia 16 de maio, a partir das 19h


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum