Fórumcast, o podcast da Fórum
24 de junho de 2019, 17h00

Movimento Nacional de Direitos Humanos repudia prisão de lideranças que lutam pelo direito à moradia

“Exigimos a imediata liberdade das nove pessoas presas provisoriamente que não tiveram direito prévio à defesa. Método, aliás, popularizado no Brasil pela Lava Jato em especial pelo ex-juiz Sérgio Moro”, diz MNDH, em nota

Preta Ferreira - Foto: Reprodução

O Movimento Nacional de Direitos Humanos de São Paulo (MNDH-SP) divulgou, na tarde desta segunda-feira (24), uma nota de repúdio contra as prisões da cantora Preta Ferreira, apresentadora do boletim Lula Livre, e de Sidney, Ednalva e Angelica, outras lideranças dos movimentos de moradia de São Paulo.

Vejam a íntegra da nota:

Nota oficial do MNDH-SP

Pela liberdade imediata às lideranças dos movimentos de moradia de São Paulo

Na manhã dessa segunda-feira, 24, em uma ação da Polícia Civil de São Paulo, cumprindo decisão do juiz Marco Antônio Martins, foram realizadas 17 ações de busca e apreensão e presas 9 importantes lideranças de diversos movimentos sociais que atuam na luta pelo direito à moradia na região central de São Paulo.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Ainda não temos informações mais precisas dos motivos alegados para a prisão provisória dos militantes populares. Contudo, não é nova a tentativa de criminalização dos que lutam por teto e fazem ocupações de prédios abandonados no cento de São Paulo.

Pelo menos desde meados do ano passado temos visto ações articuladas na mídia e em setores do Ministério Público e Judiciário com o objetivo de desmoralizar companheiras e companheiros que estão à frente de diversos movimentos de moradia.

No contexto de Estado de Exceção em que vivemos, com governos Bolsonaro e Doria, nitidamente descompromissados com as liberdades democráticas e os direitos sociais garantidos pela Constituição de 1988 –  o Movimento Nacional de Direitos Humanos de São Paulo (MNDH-SP) vem a público denunciar mais essa ação ilegal de criminalização dos lutadores do povo.

Exigimos a imediata liberdade das nove pessoas presas provisoriamente que não tiveram direito prévio à defesa. Método, aliás, popularizado no Brasil pela Lava Jato em especial pelo ex-juiz Sérgio Moro.

Lutar não é crime. Quem ocupa não tem culpa.

São Paulo, 24 de junho de 2019.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum