Fórumcast, o podcast da Fórum
30 de junho de 2019, 22h03

Neguinho da Beija-Flor: “é importante termos iniciativas como a do museu e a do coletivo de artistas pretos”

Para o sambista, "a nossa história foi queimada, pouco se sabe ainda. Por isso, é importante termos iniciativas como a do museu e a do coletivo de artistas pretos". Ele também criticou o craque Pelé, que ele considera que nega o racismo existente do Brasil: "Pelé nega o racismo. Eu, não. Não fui embranquecido por conta da fama e do dinheiro e continuo sofrendo com isso".

O sambista Neguinho da Beija-Flor. (Foto: Divulgação)

Em uma entrevista para o jornal Extra, publicada neste domingo o famoso sambista Neguinho da Beija-Flor falou sobre os seus 70 anos recém completados, e não deixou de comentar sobre a luta dos negros por respeito e igualdade no Brasil.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

O artista recorda um caso que ele considera marcante, e que exemplifica o racismo no mundo da música brasileira: “me ligaram pedindo para eu autorizar o uso da música “É campeão” (aquela dos versos “Domingo, eu vou ao Maracanã/Vou torcer pro time que sou fã”) num comercial nacional por seis meses, e me ofereceram R$ 25 mil. Só que eu liguei para um amigo compositor, branco e de olhos azuis, que recebeu R$ 350 mil para liberar uma canção dele, tão conhecida quanto a minha. Não topei, claro”.

Não foi o único exemplo citado por ele: “já me ofereceram R$ 10 mil para fazer uma campanha publicitária ao lado de uma atriz branca, que ganharia R$ 150 mil. Também não aceitei. A Friboi quis me pagar R$ 1 mil para ser garoto-propaganda deles. Tá louco? Eles não querem deixar o negro vencer, mas a gente vai continuar lutando”.

Para o sambista, “a luta pelos direitos civis do negro é muito importante. A nossa história foi queimada, pouco se sabe ainda. Por isso, é importante termos iniciativas como a do museu e a do coletivo de artistas pretos”.

Ele também criticou o craque Pelé, que ele considera que nega o racismo existente do Brasil: “Pelé nega o racismo. Eu, não. Não fui embranquecido por conta da fama e do dinheiro e continuo sofrendo com isso”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum