Fórumcast #20
22 de março de 2019, 19h44

Para Dilma, assassinato de liderança no Pará é resultado do discurso de ódio do governo

“O assassinato de Dilma Ferreira Silva é inaceitável. É mais um momento triste na história do MAB, que justamente hoje celebrava o ‘Dia Internacional da Água’”

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

A ex-presidenta Dilma Rousseff, divulgou, em eu site, uma nota, na qual considera “inaceitável” o assassinato da coordenadora regional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Dilma Ferreira da Silva, em Tucuruí (PA). Ela teria sido morta junto ao esposo e outros familiares.

Acompanhem a íntegra da nota:

Coordenadora do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Dilma Ferreira Silva e membros de sua família foram assassinados nesta sexta-feira em Tucuruí, no Pará. Dilma participava havia 30 anos do movimento, desde que uma barragem acabou com a cidade em que vivia.

Em 2011, Dilma esteve em audiência comigo e me entregou um documento de reivindicações do MAB, com atenção especial às mulheres. No encontro, manifestei apoio integral do meu governo à sua luta.

O assassinato de Dilma Ferreira Silva é inaceitável. É mais um momento triste na história do MAB, que justamente hoje celebrava o “Dia Internacional da Água”. Como seus militantes dizem, “a água é para a vida, não para a morte!”. Dilma Ferreira Silva e seus familiares são as novas vítimas da violência no campo, autorizada pelo discurso de ódio e pelo descaso do atual governo.

Veja também:  Vereador do PSDB chama parlamentar vítima da ditadura pelo nome de “Brilhante Ustra”

Dilma Rousseff

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum