Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
14 de dezembro de 2019, 12h00

Podcast sobre gênero e racismo é considerado como “conteúdo chocante” pelo YouTube

Sérgio Amadeu, sociólogo e pesquisador da cibercultura que participou do episódio do Podcast Tecnopolítica, afirma que o YouTube privilegia a extrema direita no Brasil

Reprodução

Sociólogo e pesquisador da cibercultura, o professor Sérgio Amadeu denunciou nesta sexta-feira (13), pelo Twitter, uma classificação negativa do YouTube ao vídeo de um episódio do Podcast Tecnopolítica. A plataforma considerou como “conteúdo chocante” o episódio do podcast, publicado em 5 de dezembro, que tratava justamente sobre como as tecnologias carregam em seus códigos, protocolos e padrões elementos misóginos, patriarcais e racistas presentes na sociedade.

“Veja só que absurdo. O episódio do Podcast Tecnopolítica sobre gênero e racismo com Larissa Santiago foi considerado pelo YouTube como ‘conteúdo chocante'”, escreveu Amadeu.

Na sequência, em outro tuíte, o sociólogo constatou: “Youtube privilegia extrema direita no Brasil. E aceita impulsionamento de conteúdos terraplanistas e discursos de ódio dos olavistas”.

De acordo com o próprio YouTube, os vídeos classificados como “conteúdo chocante” são aqueles que contém linguagem violenta, imagens macabras, conteúdo obsceno ou profano, ou que contenha algo com o intuito de chocar ou assustar.

Nenhuma das situações pode ser observada no vídeo do podcast, onde Sérgio Amadeu conversa com Larissa Santiago sobre gênero, direitos e tecnologia.

“O bloqueio promovido ao Podcast Tecnopolítica que tratava da relação entre gênero, racismo e tecnologia é uma demonstração da censura algorítmica praticada pelo YouTube. Curiosamente, o YouTube não bloqueia os canais que disseminam desinformação, misoginia e racismo. É inaceitável o poder modulador das plataformas”, disse Amadeu à Fórum.

Assista ao vídeo em questão.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum