Entrevista exclusiva com Lula
12 de novembro de 2019, 18h48

Suspeito de racismo em estádio tenta se justificar: “Tem pessoas que cortam meu cabelo que são negras”

O outro torcedor que estava no Mineirão, no clássico Atlético-MG e Cruzeiro, afirma que está arrependido de ter ofendido o segurança Fábio Coutinho

Foto: Reprodução/Twitter

Os irmãos Adrierre Siqueira da Silva, 37 anos, e Natan Siqueira Silva, 28, flagrados em ofensas racistas contra o segurança Fábio Coutinho, durante o clássico Atlético-MG e Cruzeiro, domingo (10), no Mineirão, querem pedir desculpas à vítima.

Ambos foram ouvidos nesta terça (12) no Departamento de Operações Especiais (Deoesp), na região da Pampulha, em Minas Gerais.

O jogo terminou em pancadaria dentro e fora do estádio, com um total de 65 detidos na capital mineira.

Natan negou que tenha chamado o segurança de macaco.

“De forma alguma, tanto é que eu tenho irmão negro, tenho pessoas que cortam o meu cabelo que são negras, amigos que são negros. Isso não foi da minha índole, pelo contrário. A forma que está circulando nas redes sociais, na imprensa, que eu dirigi a palavra a ele de ‘macaco’, de forma alguma eu falei aquilo. A palavra direcionada foi ‘palhaço’ e não ‘macaco’”, disse.

Arrependimento

O irmão, Adrierre, cuspiu no segurança e em seguida gritou: “Olha sua cor!”. Agora, depois de ter sido flagrado, disse estar arrependido.

“Estava com os ânimos exaltados na hora do jogo e quero pedir perdão a ele, por todos os insultos que eu fiz, pelo cuspe que eu proferi. Aquilo não é da minha índole”, disse.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum