Imprensa livre e independente
18 de outubro de 2018, 13h04

Diretor do Datafolha diz que fake news de Bolsonaro podem ter alterado resultado do primeiro turno

“Ao se comparar as fotos das vésperas, registradas por Ibope e Datafolha, em comparação com a foto das urnas, o fenômeno é claramente explicitado”, postou Paulino ao compartilhar denúncia da Folha

Foto: Reprodução Facebook
O diretor do Datafolha, Mauro Paulino, compartilhou em suas redes sociais matéria da Folha de S.Paulo publicada nesta quinta-feira (18) com denúncias de caixa dois contra a campanha de Jair Bolsonaro (PSL), que teria contratado empresas para disparar fake news contra o PT. De acordo com Paulino, a alteração provocada pelas mensagens foi sentida pelos institutos de pesquisas e pode ter alterado os resultados do primeiro turno. PESQUISAS ELEITORAIS evidenciaram a impulsão da onda nos momentos finais. RJ, MG e DF são claros exemplos. Ao se comparar as fotos das vésperas, registradas por Ibope e Datafolha, em comparação com a...

O diretor do Datafolha, Mauro Paulino, compartilhou em suas redes sociais matéria da Folha de S.Paulo publicada nesta quinta-feira (18) com denúncias de caixa dois contra a campanha de Jair Bolsonaro (PSL), que teria contratado empresas para disparar fake news contra o PT. De acordo com Paulino, a alteração provocada pelas mensagens foi sentida pelos institutos de pesquisas e pode ter alterado os resultados do primeiro turno.

“PESQUISAS ELEITORAIS evidenciaram a impulsão da onda nos momentos finais. RJ, MG e DF são claros exemplos. Ao se comparar as fotos das vésperas, registradas por Ibope e Datafolha, em comparação com a foto das urnas, o fenômeno é claramente explicitado.”

A matéria trata de um grupo de empresários – entre eles Luciano Hang, dono da Havan – que está contratando empresas para disparar fake news contra o PT para a campanha de Jair Bolsonaro (PSL). A prática é ilegal, pois se trata de doação de campanha por empresas, vedada pela legislação eleitoral, e não declarada.

Veja também:  Bolsonaro comete crime ao piratear cena de filme e diz, no Twitter, que vídeo foi "vazado"

Segundo Haddad, o jornal comprova que “o meu adversário, Jair Bolsonaro, deputado federal há 28 anos, criou uma organização criminosa de empresários que, mediante caixa dois, dinheiro sujo, está patrocinando mensagens pelo WhatsApp mentirosas”, disse.

O candidato do PT disse ainda: “nós vamos pedir providências para a Justiça Eleitoral, para a Polícia Federal pra que esses empresários corruptos sejam imediatamente presos para parar com essas mensagens de WhatsApp. Já tem nome de empresário, já tem nome de empresa, já tem contrato, valor pago mediante caixa dois, o que é crime eleitoral”, lembrou.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum