Imprensa livre e independente
25 de junho de 2019, 08h36

Doria repete Alckmin e desvia recursos da Educação para pagar aposentadoria de servidores

Somente neste ano já foram desviados R$ 2,8 bilhões do ensino para a Previdência, segundo dados do Ministério Público de Contas. Prática irregular começou no governo Geraldo Alckmin

Geraldo Alckmin e João Doria (Foto: Arquivo/Ciete Silverio/A2D)
O tucano João Doria, governador de São Paulo, tem se aproximado do ex-correligionário Geraldo Alckmin (PSDB) em ao menos uma prática: desviar recursos da Educação. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo Segundo reportagem de Carolina Linhares e José Marques, na edição desta terça-feira (25) da Folha de S.Paulo, Doria tem contabilizado a cobertura de gastos com aposentadoria de servidores aos recursos destinados à Educação. O desvio já foi considerado irregular pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) e pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Segundo a reportagem, somente neste...

O tucano João Doria, governador de São Paulo, tem se aproximado do ex-correligionário Geraldo Alckmin (PSDB) em ao menos uma prática: desviar recursos da Educação.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo

Segundo reportagem de Carolina Linhares e José Marques, na edição desta terça-feira (25) da Folha de S.Paulo, Doria tem contabilizado a cobertura de gastos com aposentadoria de servidores aos recursos destinados à Educação. O desvio já foi considerado irregular pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) e pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Segundo a reportagem, somente neste ano já foram desviados R$ 2,8 bilhões do ensino para a Previdência, segundo dados do Ministério Público de Contas.

A Constituição paulista determina que o governo aplique o mínimo de 30% da receita de impostos em despesas de manutenção e desenvolvimento do ensino. O percentual supera o piso da Constituição Federal, que é de 25%.

Na prática, porém, o investimento tem ficado abaixo do índice legal desde ao menos 2011, segundo o Ministério Público de Contas.

Veja também:  Terreiro de candomblé com mais de 50 anos é destruído no Rio de Janeiro

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum