Imprensa livre e independente
22 de junho de 2019, 10h49

Editor do Intercept dá invertida em Deltan Dallagnol: A notícia é verdadeira, falsa é essa nota do MPF

Após Lava Jato dizer que é "falsa" a notícia de que Laura Tessler foi afastada a mando de Sergio Moro, Leandro Demori rebateu nas redes sociais. Reinaldo Azevedo, que divulgou a informação, afirma que a procuradora foi limada 48 horas após ordem do ex-juiz

Os procuradores Deltan Dallagnol e Carlos Fernando e a imagem da audiência de Lula (Reprodução)
O jornalista Leandro Demori, editor do site The Intercept, rebateu na manhã deste sábado (22) as acusações do procurador Deltan Dallagnol, que ao compartilhar nota distribuída pelo Ministério Público Federal, tuitou em letras garrafais que a notícia de que Sergio Moro mandou afastar Laura Tessler das audiências com o ex-presidente Lula nos casos da operação Lava Jato seria falsa. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo “Depois da crítica de Moro à Laura Tessler, ela não esteve na audiência de Lula, como você e Carlos Fernando combinaram. A notícia dada...

O jornalista Leandro Demori, editor do site The Intercept, rebateu na manhã deste sábado (22) as acusações do procurador Deltan Dallagnol, que ao compartilhar nota distribuída pelo Ministério Público Federal, tuitou em letras garrafais que a notícia de que Sergio Moro mandou afastar Laura Tessler das audiências com o ex-presidente Lula nos casos da operação Lava Jato seria falsa.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

“Depois da crítica de Moro à Laura Tessler, ela não esteve na audiência de Lula, como você e Carlos Fernando combinaram. A notícia dada por nós em parceria com @reinaldoazevedo é verdadeira, falsa é essa nota do MPF”, tuitou Demori, compartilhando uma foto da audiência de Lula, onde a procuradora não aparece.

Blog do Rovai: Folha de S.Paulo faz parceira com The Intercept e trará matérias comprovando autenticidade dos diálogos

O editor do The Intercept também compartilhou uma reportagem da revista Veja, mostrando que “além de não estar na audiência de Lula, Laura Tessler não participou demais nenhuma audiência do caso triplex”.

Veja também:  Rosângela Moro, esposa do ex-juiz, sela parceria com clã Bolsonaro ao atuar com primeira-dama

Na nota distribuída à imprensa nesta sexta-feira (21), os procuradores da Lava Jato dizem repudiar “notícia falsa sobre troca de procuradores em audiência do caso Triplex”.

“Além de desrespeitosa, mentirosa e sem contexto, a publicação de Reinaldo Azevedo não realizou a devida apuração, que, por meio de simples consulta aos autos públicos acima mencionados, evitaria divulgar movimento fantasioso de troca de procuradores para ofender o trabalho e os integrantes da força-tarefa. Como o site “The Intercept Brasil”, de quem se diz parceiro, Reinaldo Azevedo, de modo tendencioso, tentou criar artificialmente uma realidade inexistente para dar suporte a teses que favoreçam condenados por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato”, diz a nota.

48 horas
Autor da divulgação, Reinaldo Azevedo voltou às redes sociais neste sábado (22) para rebater o procurador Deltan Dallagnol e diz, seguindo as orientações do chefe da Lava Jato de consultar os “autos do processo”, que descobriu que Laura Tessler foi afastada 48 horas depois da ordem do então juiz, Sergio Moro.

Veja também:  Senador propõe CPI para apurar a quebra do princípio da imparcialidade de Sérgio Moro

“Eu fui aos autos, como sugeriu Deltan Dallagnol que eu fosse, e descobri, Deltan, que a moça foi afastada 48 horas depois da reclamação feita pelo então juiz, evidenciando que quem mandava na força tarefa – ou manda ainda – de fato era, e talvez seja, Sergio Moro”, diz o jornalista.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum