Imprensa livre e independente
11 de julho de 2019, 13h58

Em audiência com Greenwald, Contarato cobra coragem de senadores para instauração de CPI da Vaza Jato

"Uma CPI não é caça as bruxas, é para esclarecer os fatos. Quem não deve, não teme", afirmou Fabiano Contarato durante audiência com Glenn Greenwald

Senador Fabiano Contarato (Rede-ES) (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) pediu que os senadores tenham coragem para assinar o pedido de instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar o conteúdo das conversas do Vaza Jato, que envolve procuradores do MPF e o ex-juiz federal Sérgio Moro. A cobrança foi feita em audiência na CCJ realizada nesta quinta-feira (11) com o jornalista Glenn Greenwald. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo “Quando eu vejo que que temos 81 senadores e tenho 13 assinaturas, com respeito, eu fico um pouco envergonhado. Uma CPI é para apurar. Uma CPI...

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) pediu que os senadores tenham coragem para assinar o pedido de instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar o conteúdo das conversas do Vaza Jato, que envolve procuradores do MPF e o ex-juiz federal Sérgio Moro. A cobrança foi feita em audiência na CCJ realizada nesta quinta-feira (11) com o jornalista Glenn Greenwald.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Quando eu vejo que que temos 81 senadores e tenho 13 assinaturas, com respeito, eu fico um pouco envergonhado. Uma CPI é para apurar. Uma CPI não é caça as bruxas, é para esclarecer os fatos. Quem não deve, não teme”, afirmou Contarato após uma longa exposição denunciando a atuação de Sérgio Moro com base nas conversas publicadas pelo Intercept e outros veículos da imprensa.

Contarato, que é professor de direito e atuava como delegado de polícia civil antes de assumir o posto no Senado, disse ainda que estaria preso se tivesse utilizado os mesmos métodos de Sérgio Moro enquanto trabalhava na delegacia.

Veja também:  Joice Hasselmann toma invertida de Glenn: "Ninguém pode saber se a deputada escreveu as mensagens ou copiou-as"

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum