Imprensa livre e independente
14 de junho de 2019, 08h55

Em João Pessoa, trabalhadores do transporte coletivo paralisam três empresas

As empresas Transnacional, São Jorge e CBTU tiveram suas garagens bloqueadas pelos trabalhadores mobilizados pela Greve Geral

Trabalhadores impedem a saída dos ônibus em João Pessoa (foto: Heloísa de Sousa)
Em João Pessoa, capital da Paraíba, um dos primeiros atos da Greve Geral desta sexta-feira (14), foi o protesto dos trabalhadores da empresa Transnacional, uma das que faz o serviço de transporte público coletivo na cidade. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo Nas primeiras horas da manhã, os trabalhadores organizaram uma barricada no portão da garagem da empresa para impedir que os veículos pudessem sair e circulassem pelas ruas da capital. Em declaração ao portal PB Agora, Isaac Júnior Moreira, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivos Urbanos...

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Nas primeiras horas da manhã, os trabalhadores organizaram uma barricada no portão da garagem da empresa para impedir que os veículos pudessem sair e circulassem pelas ruas da capital.

Em declaração ao portal PB Agora, Isaac Júnior Moreira, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivos Urbanos de João Pessoa (Sintur-JOP), disse que eram poucas as unidades que ainda estão circulando nesta manhã: “operação absolutamente comprometida com bloqueio nas garagens. Praticamente não há ônibus circulando”.

Também segundo o PB Agora, outras duas empresas de transporte coletivo, a São Jorge e a CBTU, também têm suas garagens obstaculizadas pelos trabalhadores, mobilizados pela Greve Geral, convocada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Veja também:  Curso de formação da Polícia Civil-SP inclui obras de Djamila Ribeiro e Silvio de Almeida na bibliografia

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum