Imprensa livre e independente
11 de julho de 2019, 17h00

Em maio, engenheiros e Defesa Civil já alertavam sobre risco de rompimento de barragem na Bahia

Diretor-superintendente de Proteção e Defesa Civil da Bahia, Paulo Sérgio Menezes Luz, já havia contado em maio deste ano sua experiência ao evacuar parte da população de Pedro Alexandre, considerando que o município estava na iminência de ser destruído por um rompimento. Informação dá a entender possível ação que pode ter diminuído o número de vítimas na tragédia deste quinta-feira

Barragem rompe em Pedro Alexandre, na Bahia (Reprodução)
Em um encontro chamado Seminário de Barragens, realizado em meados do mês de maio, como parte de um evento nacional organizado pelo Comitê Brasileiro de Barragens, mostrou que o risco de rompimento da barragem em Pedro Alexandre já era conhecido por algumas entidades e órgãos de proteção, como o CREA-BA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia) e a Defesa Civil do mesmo Estado. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo Segundo uma matéria publicada no site do CREA-BA, que relatou o terceiro dia do evento, o diretor-superintendente de...

Em um encontro chamado Seminário de Barragens, realizado em meados do mês de maio, como parte de um evento nacional organizado pelo Comitê Brasileiro de Barragens, mostrou que o risco de rompimento da barragem em Pedro Alexandre já era conhecido por algumas entidades e órgãos de proteção, como o CREA-BA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia) e a Defesa Civil do mesmo Estado.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Segundo uma matéria publicada no site do CREA-BA, que relatou o terceiro dia do evento, o diretor-superintendente de Proteção e Defesa Civil da Bahia, Paulo Sérgio Menezes Luz, esteve presente para contar sua experiência em evacuar parte da população de Pedro Alexandre, devio à iminência do rompimento da barragem próxima ao município. A informação dá a entender que esse trabalho pode ter diminuído o número de possíveis vítimas da tragédia ambiental desta quinta-feira (11).

“A cultura que temos em nosso país é a de que nada vai acontecer com a gente. Mas, na Bahia, começamos a fomentar a cultura de segurança de barragens e gestão de riscos bem antes de Mariana e Brumadinho”, comentou o Menezes Luz na matéria.

Veja também:  Documentos mostram como equipe de Trump negociou com atriz pornô

O encontro foi impulsado pelas preocupações geradas entre os organizadores, após a tragédia ocorrida em Brumadinho (MG), em janeiro passado. “Relatos de tragédias como a de Brumadinho são fundamentais a todos nós (…) pois as consequências de um acidente devem estar sempre claras. Especialmente quando estamos no escritório, atrás de uma mesa, tomando decisões que aumentam o risco dos empreendimentos e colocam a segurança em jogo”, destacou o engenheiro e consultor Joaquim Pimenta de Ávila, um dos participantes.

Ainda não há registro de vítimas na tragédia desta quinta-feira (11). Informações preliminares dão conta de que as fortes chuvas que atingiram a região nos últimos dias podem ter contribuído para o rompimento da barragem em Pedro Alexandre

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum