Imprensa livre e independente
03 de janeiro de 2019, 06h15

Em menos de 24 horas, Bolsonaro toma 17 medidas que colocam em risco o povo brasileiro e a soberania nacional

Entre as decisões, estão o aumento abaixo do aprovado para salário mínimo em 2019, a demarcação de terras indígenas e quilombolas que passou para as mãos dos ruralistas e a extinção dos ministérios do Trabalho, da Cultura, das Cidades, Esportes e Integração Racial.

Foto: Agência Brasil
Menos de 24 horas após tomar posse como presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL) tomou ao menos 17 medidas que colocam em risco o povo brasileiro, a liberdade da população e a soberania nacional. Blog do Rovai: Posse é um show de horrores, mas ao mesmo tempo altamente populista Entre as decisões, estão o aumento abaixo do aprovado para salário mínimo em 2019, a demarcação de terras indígenas e quilombolas que passou para as mãos dos ruralistas e a extinção dos ministérios do Trabalho, da Cultura, das Cidades, Esportes e Integração Racial. Confira 17 medidas de Bolsonaro contra o Brasil: 1)...

Menos de 24 horas após tomar posse como presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL) tomou ao menos 17 medidas que colocam em risco o povo brasileiro, a liberdade da população e a soberania nacional.

Blog do Rovai: Posse é um show de horrores, mas ao mesmo tempo altamente populista

Entre as decisões, estão o aumento abaixo do aprovado para salário mínimo em 2019, a demarcação de terras indígenas e quilombolas que passou para as mãos dos ruralistas e a extinção dos ministérios do Trabalho, da Cultura, das Cidades, Esportes e Integração Racial.

Confira 17 medidas de Bolsonaro contra o Brasil:

1) Reduziu em R$ 8 mensais o salário mínimo aprovado pelo Congresso.

2) Extinguiu a Secretaria da Diversidade, Alfabetização e Inclusão do MEC.

3) Passou para as mãos dos ruralistas a demarcação de áreas indígenas e quilombolas.

4) Anunciou a liberação da posse de armas por decreto e disse que vai tornar esse “direito” vitalício.

5) Anunciou que vai impor a prisão de condenados em segunda instância, contrariando a Constituição e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Veja também:  Bolsonaristas lançam tag #BandLixo após estreia de Marco Antonio Villa na Rádio Bandeirantes

6) Extinguiu os ministérios do Trabalho, da Cultura, das Cidades, Esportes e Integração Racial, além de excluir a população LGBTI das políticas públicas.

7) Esvaziou a Comissão da Anistia, remetendo-a para o Ministério da Família.

8) Liberou as chefias do Itamaraty para nomeações políticas, quebrando uma tradição secular da diplomacia profissional brasileira.

9) Anunciou que vai privatizar Eletrobras, apesar do veto do Congresso ao processo de capitalização da estatal.

10) Comprometeu-se com os Estados Unidos a propor planos contra Venezuela, Cuba e Nicarágua.

11) Colocou a reforma da Previdência no topo da agenda de governo.

12) Confirmou a transferência da embaixada brasileira para Jerusalém.

13) Reprimiu seus próprios apoiadores na posse e censurou violentamente a cobertura da imprensa.

14) Anunciou demissão sumária de servidores que criticaram suas políticas em redes sociais privadas.

15) Esvaziou o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), que orienta o combate à fome e o Bolsa Família.

16) Acabou com o Conselho Nacional de Integração de Políticas de Transportes e tirou do Senado a aprovação dos diretores do DNIT.

Veja também:  Após reforma da Previdência, Bolsonaro deve anunciar projeto que inicia privatização das universidades públicas

17) Fez um acordão com os partidos políticos que ele tanto criticou, para que o PSL apoie a reeleição de Rodrigo Maia (PSL) em troca de cargos na Câmara.

Com informações da Agência PT.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum