Imprensa livre e independente
26 de março de 2019, 10h47

Entrevista com Eduardo Reina – As crianças sequestradas e adotadas ilegalmente na ditadura no Brasil

Reina conta em vídeo como chegou à história, sequestrados que entrevistou, a relação do alto escalão do governo da ditadura com os casos entre outros assuntos

Foto: Reprodução
O jornalista Eduardo Reina, que lança no próximo dia 2 de abril, terça-feira, o livro “Cativeiro Sem Fim”, conversou com a Fórum nesta segunda-feira (25).  A obra conta as histórias de 19 bebês, crianças e adolescentes que foram sequestrados pelos militares – 11 ligadas diretamente à Guerrilha do Araguaia e outras oito no Rio de Janeiro, em Pernambuco, no Paraná e no Mato Grosso. Durante a entrevista, Reina conta como chegou à história, sequestrados que entrevistou, a relação de sequestradores com o alto escalão do governo da ditadura, comenta sobre cinco crianças Xavante Marãiwatsédé levadas por militares em 1966 entre...

O jornalista Eduardo Reina, que lança no próximo dia 2 de abril, terça-feira, o livro “Cativeiro Sem Fim”, conversou com a Fórum nesta segunda-feira (25).  A obra conta as histórias de 19 bebês, crianças e adolescentes que foram sequestrados pelos militares – 11 ligadas diretamente à Guerrilha do Araguaia e outras oito no Rio de Janeiro, em Pernambuco, no Paraná e no Mato Grosso.

Durante a entrevista, Reina conta como chegou à história, sequestrados que entrevistou, a relação de sequestradores com o alto escalão do governo da ditadura, comenta sobre cinco crianças Xavante Marãiwatsédé levadas por militares em 1966 entre outros casos que, até então, estavam escondidas do público.

No lançamento, no dia 2 de abril, no Centro Universitário Maria Antonia – USP, em São Paulo, a partir das 19h, acontecerá um debate com o autor do livro, Eduardo Reina, Caco Barcellos, responsável pelo prefácio da obra, e Eugênia Gonzaga, procuradora regional da República e presidente da Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos.

O livro é uma parceria com o Instituto Vladimir Herzog e Alameda Casa Editorial.

Foto: Reprodução

Eduardo Reina é jornalista, nascido em 1963. Já trabalhou em várias redações na capital e interior como diretor, editor, colunista e repórter. Também atuou e atua como assessor de imprensa de entidades, empresas e sindicatos.

Veja também:  Após tentativa de protestos, Glenn Greenwald é ovacionado e hashtag ‘Parabéns Paraty’ amanhece em primeiro

Ganhou vário prêmios na área jornalística como o Abril, o Estado e o Imprensa Sindical. Este último lhe proporcionou fazer curso de complementação na Organização Internacional do Trabalho (OIT) na Suíça, em 1993.

Em 2010 seu blog venceu o prêmio Estado. Recebeu menção honrosa no prêmio Excelência Jornalística da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), também em 2010.

É Autor do livro de contos policiais No Gravador, lançado em 2003 e Rua Tutoia (2016). Integrante dos livros O Conto Brasileiro Hoje, Volume 5, de 2007, e Contos e Casos Populares (introdução de Paulo Freire), de 1984.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum