Imprensa livre e independente
09 de julho de 2019, 12h45

Espaço sagrado dos Guarani-Kaiowá é destruído pelo fogo em Mato Grosso do Sul

Principal casa de reza na aldeia Jaguapiru, a mais populosa do país, foi totalmente queimada na madrugada desta segunda-feira

Foto: Reprodução/Campo Grande News
A principal casa de reza dos Guarani-Kaiowá, na reserva indígena de Dourados, a 233 quilômetros de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, foi totalmente destruída por um incêndio, na madrugada de segunda-feira (8), de acordo com informações de Helio de Freitas, do Campo Grande News. O fogo acabou com a estrutura de madeira coberta por capim sapé. A aldeia Jaguapiru, na reserva de Dourados, é a mais populosa do Brasil, com pelo menos 17 mil pessoas. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo Os moradores da aldeia perceberam o...

A principal casa de reza dos Guarani-Kaiowá, na reserva indígena de Dourados, a 233 quilômetros de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, foi totalmente destruída por um incêndio, na madrugada de segunda-feira (8), de acordo com informações de Helio de Freitas, do Campo Grande News.

O fogo acabou com a estrutura de madeira coberta por capim sapé. A aldeia Jaguapiru, na reserva de Dourados, é a mais populosa do Brasil, com pelo menos 17 mil pessoas.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Os moradores da aldeia perceberam o fogo no início da manhã e chamaram o Corpo de Bombeiros. Uma equipe foi ao local, mas não conseguiu evitar a destruição total do espaço dos Guarani-Kaiowá.

A casa tem como principal rezador o cacique Getúlio de Oliveira e até o momento não há informações a respeito das causas do incêndio. O espaço era onde aconteciam as atividades religiosas dos Guarani-Kaiowá, com práticas de cânticos, rezas e danças.

Veja também:  A política da truculência perdeu quatro eleições, mas infelizmente venceu uma

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum