GORDOFOBIA

VÍDEO – gordofobia: jornalista esportivo faz piadas com peso de treinador após jogo

Os comentários geraram manifestações de repúdio, inclusive do próprio técnico, que respondeu com elegância; veja aqui

O jornalista Lucas Nogueira, autor das piadas godofóbicas.Créditos: Reprodução de Vídeo
Escrito en ESPORTE el

O jornalista Lucas Nogueira da TV Brasil Central (TBC) fez vários ataques gordofóbicos ao técnico Guto Ferreira, do Goiás, durante transmissão do clássico com o Atlético-GO, pelo Campeonato Goiano, no último domingo (15).

Entre outras coisas, o jornalista afirmou que “não dá para colocar lapela” no treinador, se referindo ao seu pescoço e seu peso.

“Gente, nós temos um microfone aqui que chama lapela. No Guto não dá pra colocar lapela nele, não. Pode olhar na coletiva. Não tem pescoço, não tem uma divisória aqui (região abaixo do queixo). Então precisa cuidar disso”, disse o comentarista.

As falas foram motivos de risadas dos colegas de transmissão. Jean Lopes, um dos apresentadores, questionou se Guto estaria “comendo muita pamonha”.

Nota de repúdio

O Goiás emitiu nota repudiando os comentários na transmissão da TBC. “É inadmissível que, em pleno 2023, ainda aconteça casos como esse, de pessoas aprovando e achando graça de ofensas preconceituosas em relação à condição física de seu semelhante”, afirmou o clube.

O jornalista Lucas Nogueira se desculpou, publicamente, por meio de vídeo publicado em suas redes sociais. “Venho a público pedir desculpas para a torcida esmeraldina, diretoria do Goiás e, principalmente, para o técnico Guto Ferreira. Sei que errei. Fiz um comentário que soou preconceituoso, mas neste momento eu estou aqui para pedir desculpas a todos vocês”, afirmou o jornalista. “Isso não irá se repetir!”

Guto respondeu

Guto Ferreira reagiu aos comentários neste domingo (22), após a partida contra a Aparecidense. “A atitude da equipe, na pessoa do Lucas, foi lamentável e perigosa. Pra mim, não tem problema nenhum (a piada). Sou um cara ‘cabeça feita’. Mas ele tem de ter responsabilidade com o que fala”, disse o treinador após o jogo.

“O ‘Brasil Central’ atinge muitos e muitos espectadores no estado e no Brasil. São crianças que estão vendo e achando graça. Endossando amanhã fazer esse mesmo tipo de situação que se chama bullying entre eles. Eu tenho cabeça para suportar tamanha humilhação. Será que um garoto tem? Todo mundo sabe o que o bullying provoca”, afirmou ainda.

Veja abaixo: