Jogadores da seleção divulgam manifesto medíocre e Tite diz não ser “hipócrita e alienado”

Após vitória contra o Paraguai, jogadores divulgaram nota dizendo que estão "insatisfeitos" com a Copa América, mas que como "trabalhadores do futebol nunca dirão não à seleção brasileira". Leia a íntegra

Pipocar. A gíria que significa medo e acanhamento no futebol serve perfeitamente para definir o posicionamento dos jogadores da seleção brasileira e do técnico Tite em relação à realização da Copa América no Brasil divulgados após a vitória por 2 a 0 contra o Paraguai na noite desta terça-feira (8) no estádio Defensores del Chaco, em jogo pelas eliminatórias para a Copa do Mundo do Qatar, em 2022.

Após ameaçarem não disputar a competição, trazida ao Brasil por Jair Bolsonaro em meio à pandemia que já matou mais de 476 mil brasileiros, os jogadores emitiram um manifesto medíocre em que se dizem “insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil”, mas que como “trabalhadores, profissionais do futebol” não dirão “não à seleção brasileira”.

“Lembramos que somos trabalhadores, profissionais do futebol. Temos uma missão a cumprir com a histórica camisa verde amarela pentacampeã do mundo. Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à Seleção Brasileira”, diz o texto (leia a íntegra abaixo).

A nota foi divulgada pelos próprios jogadores em suas redes sociais. O capitão, Casemiro, que chegou a dizer que havia um consenso na equipe contra a realização da Copa América no Brasil que seria divulgado após o jogo contra o Paraguai, limitou-se a publicar o texto nos stories de seu Instagram.

Tite
A posição dos jogadores foi seguida pelo técnico, Tite, que em entrevista coletiva após o jogo disse não ser “hipócrita e alienado”, mas que vai priorizar o “trabalho”.

“Não sou hipócrita, não sou alienado e sei que as coisas acontecem. Mas sei dar prioridade. Prioridade é o meu trabalho e a dignidade do meu trabalho”, disse ao ser indagado sobre o assunto.

Leia o manifesto dos jogadores da seleção na íntegra

Quando nasce um brasileiro, nasce um torcedor. E para os mais de 200 milhões de torcedores escrevemos essa carta para expor nossa opinião quanto a realização da Copa América.

Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas. Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil.

Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização.

É importante frisar que em nenhum momento quisemos tornar essa discussão política. Somos conscientes da importância da nossa posição, acompanhamos o que é veiculado pela e mídia estamos presentes nas redes sociais. Nos manifestamos, também, para evitar que mais notícias falsas envolvendo nossos nomes circulem à revelia dos fatos verdadeiros.

Por fim, lembramos que somos trabalhadores, profissionais do futebol. Temos uma missão a cumprir com a histórica camisa verde amarela pentacampeã do mundo. Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à Seleção Brasileira.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR