segunda-feira, 26 out 2020
Publicidade

Maya Gabeira, mulher e brasileira, vai para o Guinness com a maior onda surfada no mundo

“Poder ver uma mulher surfando a maior onda do ano em um esporte extremamente masculino, totalmente dominado pelos homens, é um marco”, disse a atleta

Maya Gabeira é oficialmente a detentora do título da maior onda surfada no mundo do ano: 22,4 metros. O Guinness World Records, o Livro Mundial de Recordes, incluiu a marca de surfista carioca, que bateu o seu próprio recorde em fevereiro deste ano, na Praia do Norte, em Nazaré, Portugal.

“É uma conquista, é algo até quase inesperado para mim. Na verdade, não era um foco meu bater o meu recorde, eu estava muito focada em competir pela primeira vez no masculino e isso foi o que acabou elevando a minha performance. Quando eu vi que tinha surfado a onda e que isso realmente poderia acontecer, eu comecei a entender que eu poderia conquistar mais um grande marco na minha carreira!”, diz a surfista de 33 anos.

Maya não só bateu o próprio recorde como surfou a maior onda de toda a temporada, entre homens e mulheres – uma conquista com uma relevância que vai além dos números.

“Poder ver uma mulher surfando a maior onda do ano em um esporte extremamente masculino, totalmente dominado pelos homens, é um marco. Até já tinha sonhado com isso quando era mais nova, mas eu nunca imaginei que isso fosse se tornar realidade. É muito importante para as meninas mais jovens poderem ver esta representatividade no topo, mulher no topo”, comenta a brasileira. “Isso, para mim, é o que é mais especial nesse recorde: ter sido a maior onda surfada este ano entre homens e mulheres! Como uma atleta mulher ter sucesso em um ambiente de extremo perigo, um esporte radical, muito relacionado ao universo masculino, a força e coragem é sempre uma grande quebra de estigma. Mostra que a mulher pode fazer coisas que a sociedade vê como extremamente masculinas. É muito significativa esta onda quando olhamos desta forma”, comenta a atleta.

Com informações da RFI

Julinho Bittencourt
Julinho Bittencourt
Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.