Imprensa livre e independente
13 de fevereiro de 2017, 15h09

Estação da agressão: Terminal Barra Funda tem 3 casos de violência envolvendo seguranças em uma semana

Um jovem levou uma “gravata” por estar de skate na estação, outro um soco por estar embriagado, e um terceiro foi espancado por ficar sentado no chão – isso tudo só em São Paulo. Esses e casos como o de Brasília, em que uma chilena foi agredida por cantar na estação, mostram que andar de metrô no Brasil tem se tornado uma prática cada vez mais perigosa Por Redação No último sábado (11) um rapaz que estava aparentemente embriagado e que gritava na estação Barra Funda do Metrô e da CPTM em São Paulo foi agredido por seguranças. Imagens do...

Um jovem levou uma “gravata” por estar de skate na estação, outro um soco por estar embriagado, e um terceiro foi espancado por ficar sentado no chão – isso tudo só em São Paulo. Esses e casos como o de Brasília, em que uma chilena foi agredida por cantar na estação, mostram que andar de metrô no Brasil tem se tornado uma prática cada vez mais perigosa

Por Redação

No último sábado (11) um rapaz que estava aparentemente embriagado e que gritava na estação Barra Funda do Metrô e da CPTM em São Paulo foi agredido por seguranças. Imagens do circuito interno de segurança mostram que o jovem, ao ser abordado, dá um empurrão em um dos seguranças, que revida com um soco no rosto da vítima, que cai sentado. O Metrô informou que afastou o segurança para apurar o caso.

Esse é o terceiro episódio de violência envolvendo seguranças da estação Barra Funda em menos de uma semana. No dia 5 de fevereiro outro jovem foi agredido por estar de skate na estação. Ele levou uma “gravata” de um dos seguranças. Na terça-feira (7), um estudante foi lançado ao chão, teve o pescoço prensado pela perna de um dos seguranças, foi levado para um corredor e espancado por ficar sentado no chão da estação para esperar a namorada. Nesses dois últimos casos, o Metrô informou que faria a apuração, mas não informou se os profissionais foram punidos.

Veja também:  Bolsonaro diz que é católico, mas discorda do Papa Francisco em relação a Lula

Os três episódios de violência em menos de uma semana mostram que andar de metrô tem sido uma prática cada vez mais perigosa dada a violência dos funcionários de empresas terceirizadas – boa parte deles ex-policiais ou policiais fazendo “bico”.

A brutalidade não é uma exclusividade de São Paulo. Na última quarta-feira (7), por exemplo, uma jovem chilena foi agredida e detida por seguranças de uma estação de metrô em Brasília por estar cantando na estação.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum